Segunda-feira, 14 de Outubro de 2019
AMAZONENSE FEMININO

Federação confirma irregularidades e denúncias vão ao Tribunal de Justiça Desportiva

Após escalarem jogadoras irregulares na estreia do Estadual, Clipper e Rio Negro sofrem denúncias da Federação. Galo pode perder pontos



CR020803_p01_65F45D0E-E639-4A2A-8C02-701F2DE58C0F.jpg Foto: Antonio Lima
08/10/2019 às 09:57

Na tarde de ontem (7), a Federação Amazonense de Futebol (FAF) oficializou a denúncia sobre as escalações irregulares de Clipper e Rio Negro na primeira rodada do Amazonense Feminino. Na ocasião, enquanto a equipe da Águia Dourada foi derrotada pelo Nacional por 4 a 0, o Galo da Praça da Saudade venceu o Tarumã pelo placar de 7 a 0. As partidas aconteceram em rodada dupla no estádio Ismael Benigno, a Colina.

As duas equipes ultrapassaram o prazo para inscrição de atletas no Boletim Informativo Diário (BID), inscrevendo-as somente no dia da partida - quinta-feira (3) -, quando o regulamento prevê que o registro deve ser feito com até um dia de antecedência. Analisando o BID, é possível constatar que, no dia do jogo, o Clipper registrou 10 atletas e o Rio Negro, 12.



Agora, cabe ao Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) decidir por absolvição ou condenação. Em caso de posicionamento contrário às irregularidades, a expectativa é para saber como as punições serão realizadas. De acordo com o regulamento da competição, os pontos da vitória da equipe infratora podem ser anulados, não sendo permitida a transferência para o time que foi derrotado em campo.

Situações contrárias

Como já saiu com a derrota dentro das quatro linhas, o Clipper tem situação menos complicada em relação à perda de pontos. Entretanto, por ter vencido, o Rio Negro pode ser o mais prejudicado. “É o Tribunal que julga, não sei o que vão decidir. Podem tirar pontos ou aceitar a defesa dos advogados. Não é mais com a gente (FAF)”, afirmou Ivan Guimarães, diretor de competições da Federação.

Procurado pela reportagem, Jefferson Oliveira, presidente do Galo da Praça da Saudade, comentou sobre a possível irregularidade e isentou o clube de culpa. “Jogadoras estavam no BID. Não tinha jogadora irregular. Apenas a FAF colocou um prazo no regulamento”, declarou. “Quando recebermos a intimação, nossos advogados tratarão da defesa”, concluiu.

Independente do imbróglio, as duas equipes entram em campo na próxima rodada. E o calendário as coloca frente a frente. Na quinta (10), Clipper e Rio Negro se enfrentam na Colina, às 18h (de Manaus).

News ac1 c11005fb a54c 4884 8608 3c793bab9e30
Repórter de A CRÍTICA

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.