Publicidade
Esportes
Craque

‘Fera’ do tênis de mesa no AM está perto disputar Jogos do Rio 2016

Amanda Marques é segunda no ranking nacional Absoluto e quer realizar sonho de estar nos próximos Jogos Olímpicos pelo Brasil. Ela disputa vaga com outra ‘fera’ do esporte, a também amazonense Lígia Silva, fã declarada 28/12/2014 às 16:49
Show 1
Amanda Marques é segunda no ranking nacional Absoluto e deve estar nos Jogos do Rio 2016.
Felipe de Paula Manaus (AM)

Forte candidata a compor a seleção brasileira nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em 2016, a manauara Amanda Marques, um dos maiores prodígios do tênis de mesa amazonense nos últimos anos, sabe que pode estar prestes a dar um grande salto na carreira profissional.

A tricampeã brasileira individual, que em 2014 ajudou o Amazonas a conquistar o inédito Campeonato Brasileiro Feminino por Equipes, pulou neste ano de quinto para o segundo lugar no ranking nacional Absoluto e figura entre as principais atletas da modalidade no Brasil.

“Quero escrever meu nome na história”, diz a atleta, consciente do que significa estar entre as melhores do Brasil há menos de dois anos da primeira Olimpíada em território brasileiro. “Este ano eu também ganhei da melhor da América Latina, a (Caroline) Kumahara”, orgulha-se.

Fã declarada da maior recordista amazonense em participação nas Olimpíadas, Lígia Silva, também do tênis de mesa, Amanda agora tem a conterrânea como uma das principais adversárias na disputa da vaga olímpica em 2016.

“Ela me inspira desde criança, como ícone e inspiração, por ser amazonense, por ter sofrido e lutado muito, e por estar entre as melhores, mesmo já sendo veterana. Sempre vai ser alguém em quem eu quero me inspirar”, declarou Amanda.

Atleta da Associação Lassalista, a jovem agora passa uma temporada de intercâmbio em São Caetano-SP, onde treina com os melhores atletas e técnicos em atuação no País e se prepara para a temporada de 2015.


Se depender da evolução dessa atleta, que foi campeã em seu primeiro brasileiro, em 2002, em Palmas, impressionando o Brasil com o talento de uma jovem jogadora com menos de um ano de prática no esporte, Amanda vai, sim, fazer história. Fiquemos atentos!

Ping Pong em 1...2...3!

1.Durante a Copa do Mundo vimos o quanto a parte psicológica pesa para os atletas, mesmo num esporte coletivo. No tênis de mesa, é diferente? Como você se prepara neste aspecto?

A questão psicológica é fundamental por que não adianta treinar o físico apenas; o tênis de mesa é um jogo mental, de estratégia. É preciso controlar muito as emoções. Tem jogo que se perde por causa de pressão. Eu acho que, psicologicamente, eu me saio muito bem, mas ainda tenho que melhorar muito para o que quero.

2.E o que você quer? Quais são suas metas?

Eu quero fazer história. Quero escrever meu nome na história. Ser uma amazonense que fez a diferença não só no esporte como na vida. Eu acho que todo atleta almeja o melhor. Ir para o Pan, para as Olimpíadas, eu acho que... eu acho não, que quem acha não tem certeza. É esse meu objetivo! Estar entre as melhores!

3.O que significa a possibilidade iminente de estar nos Jogos Olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro?

Significa tudo. É o sonho de todo atleta. Eu sempre fui das seleções de base, agora estou tentando vaga na seleção adulta. Falta pouco para mim.

Publicidade
Publicidade