Quarta-feira, 20 de Janeiro de 2021
Futebol feminino

Final do Campeonato Amazonense Feminino pode ser suspensa

Partida entre Recanto da Criança e 3B está marcada para quarta-feira, mas pode ser adiada após o JC entrar com notícia de infração por escalação irregular



8da9615e-f779-4477-8748-2e6678f031bf_53F8D46E-F536-4ECC-9D1E-26EBB8E1A1F9.jpg Foto: João Normando
23/11/2020 às 11:58

A final do Campeonato Amazonense Feminino entre 3B e Recanto da Criança, marcada para a próxima quarta-feira (25) pode ser suspensa. Na manhã desta segunda-feira (23), o JC FC enviou ao Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-AM) com uma notícia de infração contra o 3B por escalação irregular da atleta Gisele Telles.

A denúncia foi apresentada e protocolada. Agora a procuradoria aguarda o agendamento de uma sessão para os auditores decidirem sobre o caso e a suspensão ou não da final dependerá do parecer do presidente da casa, Edson Rosas. Caso a denúncia vá a julgamento, o 3B poderá perder pontos e ficar de fora da final.



Vale lembrar que na primeira fase, a Fera terminou na primeira colocação com os mesmos sete pontos do Recanto da Criança, mas terminou na ponte pelo saldo de gols, já o JC ficou em terceiro, com três.

Em fevereiro desde ano, Gisele foi julgada pelo Tribunal de Justiça Desportiva por uma expulsão que aconteceu na final do Barezão Feminino de 2019. De acordo com a súmula da partida entre Iranduba e 3B, que terminou 3 a 1 para a Fera, a jogadora, que ainda atuava no Hulk recebeu cartão vermelho por "reclamar e protestar ostensiva e ofensivamente contra a decisão da arbitragem". No julgamento, a atleta foi condenada a três jogos de suspensão com base no artigo 258 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD).

"Art. 258-B. Invadir local destinado à equipe de arbitragem, ou o local da partida, prova ou equivalente, durante sua realização, inclusive no intervalo regulamentar. (Incluído pela Resolução CNE nº 29 de 2009). PENA: suspensão de uma a três partidas, provas ou equivalentes, se praticada por atleta, mesmo se suplente, treinador, médico ou membro da comissão técnica, e suspensão pelo prazo de quinze a cento e oitenta dias, se praticada por qualquer outra pessoa natural submetida a este Código. (Incluído pela Resolução CNE nº 29 de 2009)."

Apesar de pegar três jogos de punição, a alegação do JC é que ela cumpriu a suspensão apenas na primeira rodada da competição de 2020, justamente contra o JC. Na segunda rodada, contra o Recanto da Criança, ela já aparece na escalação. O jogo terminou empatado em 1 a 1.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.