Publicidade
Esportes
Craque

Final feliz: Rio Negro renegocia dívidas e evita leilão da sede

Prestes a ser tombado como patrimônio histórico e cultural de Manaus, clube centenário inicia recuperação financeira 08/11/2013 às 11:40
Show 1
Presidente Thales Verçosa diz que as atenções agora são para o centenário
Augusto Costa Manaus, AM

A torcida rionegrina pode comemorar. O presidente do Atlético Rio Negro Clube, Thales Verçosa anunciou nesta quinta (7) que conseguiu renegociar as dívidas de R$ 36 mil com a Receita Federal e INSS, além dos R$ 140 mil com a Justiça do Trabalho, e confirmou aliviado que a sede do clube não vai mais ser leiloada, salvando o Galo Carijó de um vexame histórico no ano do centenário. De acordo com o presidente, passado o susto, agora as atenções estão voltadas exclusivamente para o aniversário de 100 anos do clube, que será comemorado no dia 13 deste mês.

“Todos os rionegrinos e as pessoas que gostam do Rio Negro podem ficar tranquilos. Conseguimos negociar as dívidas com as partes e fizemos um parcelamento do processo, que teria levado a sede a leilão, em dez parcelas de R$ 3,1 mil. Com isso, conseguimos que o leilão não mais acontecesse. Também renegociamos as dívidas trabalhistas que envolviam dois ex-funcionários do clube. Isso nós dá tranquilidade para trabalhar porque não corremos nenhum risco de perder a nossa sede”, afirmou entusiasmado o presidente.

Sobre o montante das dívidas do clube, que estariam avaliadas em mais de R$ 3 milhões, Thales disse que está otimista e que muitas delas já foram pagas. “Estamos negociando com a Caixa Econômica uma dívida de R$ 290 mil e vamos fazer um parcelamento em 180 meses, o equivalente a 15 anos. No dia 18 vamos voltar a negociar com a Receita Federal uma outra dívida, também em 180 meses. Com isso, teremos condições de acabar com todas as certidões negativas e teremos nossas contas liberadas para fazer parcerias, receber doações e fazer acordos com o poder público. O objetivo é esse: limpar o nome do Rio Negro”, afirmou o presidente do clube da Praça da Saudade.

Tombamento da sede
Foi votado em caráter de urgência e aprovado quarta-feira, por unanimidade na Câmara Municipal de Manaus, o Projeto de Lei nº 459/2013 dispõe sobre o tombamento da sede do Rio Negro “por interesse histórico e cultural”. O projeto impede que a sede - mesmo que venha a ser leiloada, um dia - perca suas características arquitetônicas internas e externas, mantendo inclusive o nome Atlético Rio Negro Clube na fachada. Sobre a medida, proposta pelo vereador Professor Samuel (PPS), o Thales foi enfático:

“A questão do tombamento não tem nada a ver com as dívidas do clube. Não importa se a sede está tombada ou não ela poderia ter ido a leilão. Mas foi muito importante essa decisão da Câmara Municipal e do prefeito Artur Neto e estamos agradecidos”, declarou Verçosa.

Publicidade
Publicidade