Publicidade
Esportes
FORÇA

Fisiculturista amazonense busca apoio para disputar Campeonato Brasileiro

Cleia Silva carrega na bagagem títulos locais de fisiculturismo, mas a falta de patrocínio impede a atleta das disputas a nível nacional 09/07/2017 às 11:29
Show zcr0109 01rcabe a   c pia
Estudante de educação física, a fisiculturista Cleia Silva faz estágio na mesma academia onde treina para as competições. (Fotos: Clóvis Miranda)
Valter Cardoso Manaus

“Seria uma satisfação enorme poder representar meu Estado num campeonato onde têm representantes de cada parte do País e do mundo”. Estas são as palavras de motivação da fisiculturista amazonense Cleia Silva.

Praticante da modalidade desde 2013, a atleta se prepara para competir no Campeonato Brasileiro de Fisiculturismo, que vai ser realizado em Riberão Preto, interior paulista, mas os obstáculos que separam  Cleia do troféu de campeã brasileira vão muito além das outras competidoras. 

Sem patrocínio, a amazonense encontra dificuldades para continuar a preparação. “Minha maior dificuldade é por ser um esporte caro e a dificuldade de conseguir patrocínio”, pontuou.

Campeã na modalidade Wellness Master neste ano e 3ª colocada no ano passado, Cleia relembra o início da prática no esporte, que surgiu quase que por acaso na sua vida.  “Comecei a treinar porque era muito magra, tomei um medicamento onde ganhei dez quilos. Entrei na academia só por entrar, conforme fui treinando, meu corpo foi se modificando e as pessoas começaram a perguntar se eu competia,  e aquilo foi entrando na minha cabeça. Foi então que resolvi assistir pela primeira vez um campeonato de fisiculturismo. Fiquei encantada e resolvi seguir esse esporte”, relembrou ela.

Enquanto mostra toda a sua força nos aparelhos de academias para manter a forma para as disputas, Cleia mostra toda a sua força de vontade para continuar sonhando. 
Desempregada, a atleta cursa faculdade de educação física e ainda cuida da filha de 11 anos.  A motivação para continuar a luta é simples: ser a melhor.  “Meu sonho é ser reconhecida como uma das melhores atletas do Brasil. A nível nacional é título  o brasileiro  e a nível internacional é  o Arnold Classic”, explicou a fisiculturista amazonense.

Publicidade
Publicidade