Publicidade
Esportes
Craque

Força baré pelo futebol local

Torcedores fazem petição para pedir artistas e futebol local na inauguração da Arena da Amazônia 14/04/2013 às 14:37
Show 1
Eles não querem saber de times de fora na abertura da Arena
Paulo Ricardo Oliveira Manaus (AM)

Formada por jovens na faixa etária de 15 a 25 anos, a comunidade “Hora do futebol amazonense” iniciou essa semana um movimento via redes sociais para que o show de inauguração da Arena da Amazônia seja protagonizado por artistas locais e que clubes da terra façam o jogo de abertura. A Arena está com 57,5% da obra concluída e ainda não tem data certa para ser entregue, mas especulações já deram conta da vinda do cantor Roberto Carlos e jogos envolvendo Flamengo e até o Barcelona, do mago da bola Lionel Messi.

A petição na Internet pró-atrações locais já teve a adesão de mais de 250 pessoas e tende a crescer, dada a rapidez com que as informações nas redes sociais se espalham. Esse, aliás, é o trunfo do idealizador da ideia, Deyvid Jhonatan Cristo, de 21 anos, universitário de turismo e torcedor do Nacional. o movimento não usa apenas os recursos do facebook. A petição já virou assunto da moda no twitter e em aplicativos como o whatsapp.

“A gente acredita que esse movimento cresça bastante, porque ele envolve um sentimento bairrista, de defesa da cultura e do futebol local. Às vezes a gente esquece de valorizar o que é nosso e passa a dar mais importância para o que é de fora”, explicou o nacionalino, cuja namorada Vanessa Silva 22, é fundadora do “Hora do futebol amazonense”.

Para o fastiano Maicon Benfica Santana, 21, tecnólogo em construção civil, o movimento é uma forma de marcar posição e inaugurar um novo perfil de torcedor local, mais bairrista e leal aos clubes locais. “O grande gargalo é o maior acesso do torcedor local a times mais conhecidos nacionalmente, a exemplo dos times do Rio, que tem grande torcida em Manaus. Isso acontece por meio da televisão, com os jogos e programas esportivos, que somente noticiam os clubes de fora. Sou amazonense e tenho que ter gosto por um clube daqui”, analisa o membro da Torcida Esquadrão Tricolor (TET).

Lider da Mancha-Negra, Sarah Massulo, 28, disse que a troca de informações e discussões sobre lealdade aos clubes locais por meio das redes sociais vão ajudar a criar uma consciência mais bairrista em relação ao futebol, o que deve ganhar maior proporção depois da inauguração da Arena da Amazônia e dos CTs para a Copa. “Passaremos a ter estádios bons para jogos”, reforça a torcedora, que quer montar uma loja na cidade para vender camisas, bandeiras e acessórios somente dos clubes locais. “Quem mora aqui e quem vem de fora tem dificuldade de comprar camisas dos clubes locais”, finaliza.

Publicidade
Publicidade