Sábado, 24 de Julho de 2021
Esporte

Franciane e Juarez: amor que nasceu e vai além das pistas de corrida

O casal se conhece há sete anos, e além da filha Jhully, coleciona muitos momentos nas competições e vida de casal



121212121_3FA04897-64B0-4E33-B214-93BE4C4E1D85.JPG Foto: Divulgação
12/06/2021 às 09:32

Que o esporte permite a livre expressão de pessoas através da paixão por um time ou determinada modalidade, isso é inegável. Mas quando se trata do amor, qual a linha de partida e de chegada? Para os corredores Juarez Silva e Franciane Moura, a linha de partida se deu quando decidiram compartilhar além da afeição pela corrida, o amor um pelo outro! Os dois se conheceram em 2014, mas só em 2018 eles perceberam que tinha algo na relação que ia além da amizade.

“A gente se conheceu nas corridas, começamos a viajar juntos para as corridas, começamos a nos conhecer melhor, de uma amizade virou amor e estamos até hoje juntos”, contou Franciane.



E a única linha de chegada que interessa por enquanto é a do Troféu Brasil de Atletismo que está acontecendo nos dias 10 a 13 de junho, lá na cidade de São Paulo.

Franciane conta como foi sua preparação para o certame em meio à gravidez e a pandemia. A atleta que tem metas pessoais, revela que precisou matar ‘uma leão por dia’ para chegar ao nível de competição adequado que a Taça Brasil exige.

“A preparação deu início há um ano, 30 dias após ter minha filha voltei com os treinos. Sempre acompanhada pelo meu técnico e esposo Juarez, que fez tudo comigo. Foi um processo de muita superação, tudo parado com a pandemia, muitos viraram as costas pra mim, percebi quando as mulheres engravidam, muitos param de acreditar, acham que não vai conseguir voltar ao nível que encontrava antes da gravidez. Mas dei a volta por cima, me superei e tive que matar um leão por dia para voltar ao nível”, revelou.

Claro que para essa atingir suas metas, a rotina de treinos não foi brincadeira: “Era diária, segunda a sábado pelo período da tarde de 17 às 19 horas. Treinos variados, fortalecimento na academia.  Pilates mesmo em casa, praticamente montamos um estúdio de fortalecimento, tudo fechado com a pandemia, muitos dos exercícios foram feitos em casa. Treino de corrida praticamente 90% foi feito em alphaville, só tivemos acesso a pista de atletismo 40 dias atrás”, relatou.

Parceiros no amor e na corrida, a reportagem perguntou como era para o Juarez ter a esposa e a atleta que ele treinava na mesma pessoa: “Pra mim é uma honra poder treina-lá, muito feliz por ela acreditar na minha ideia de treino. Como esposa ela é maravilhosa, uma ótima parceira, mãe, prestativa, isso é fruto do sucesso”, disse.

Para Franciane, como era ter seu esposo como seu treinador: “Treinar com o meu esposo é muito gratificante, uma pessoa que me dá muita força. Agradeço muito a Deus por ter colocado ele no meu caminho, um bom marido pra mim, um excelente pai pra nossa filha”.

Sobre a corrida, Juarez está confiante sobre a desenvoltura da companheira: “As expectativas são as melhores, eu como técnico acho que vem medalha entre as três melhores do Brasil. Pelo que ela treinou vai fazer sua melhor marca da carreira”, concluiu.

A largada dessa história de afeto, parceria e cumplicidade já foi dada há alguns anos, Franciane e Juarez como bons corredores sabem que esse esporte requer muito esforço e dedicação tal qual o amor, a torcida é que essa maratona dure bastante tempo.

Alice Pereira
Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.