Sábado, 20 de Abril de 2019
publicidade
1.jpg
publicidade
publicidade

Craque

'Fui apunhalado pelas costas', diz Carlos Tozzi após pedir demissão da equipe do Operário

Segundo o treinador, a diretoria do clube de Manacapuru não arcou com as obrigações com os atletas. Junto de Tozzi, sete atletas também deixam o clube


02/04/2015 às 19:50

Carlos Tozzi não é mais treinador Operário. A notícia foi confirmada pelo técnico na tarde desta quinta-feira (2). Demonstrando indignação, Tozzi afirmou que resolveu pedir demissão do cargo após ter de pagar do próprio bolso pelo jantar dos atletas. O presidente do clube, Beto Ferreira, ainda não confirmou o substituto, mas o lateral Clemilton poderá acumular as funções de jogador e técnico no duelo da próxima rodada contra o Manaus FC.

O técnico do Sapão da Terra Preta (apelido do clube) deve deixar Manacapuru (distante 68 quilômetros da capital) na noite desta quinta-feira e seguirá para Manaus, onde tem viagem marcada para o Rio de Janeiro, sua cidade natal. O treinador carioca confirmou que não tinha mais clima para comandar a equipe, que ocupa a lanterna do Barezão, com apenas um ponto ganho.

“A estrutura é zero! Não temos campo pra treinar. Não temos o devido apoio do presidente. Quem arruma campo é o Pesado (diretor de futebol do Operário). E o episódio de ontem a noite me deixou muito triste. Os jogadores não tinham janta. Quem teve de pagar fui eu”, disse Tozzi, confirmando que depois foi reembolsado pela diretoria do clube.

A equipe manacapuruense foi campeã da Série B do Amazonense em 2014, conseguindo assim o acesso à elite do futebol amazonense. Na época, quem comandava o time era Fábio Luiz, hoje treinando o Manaus FC, justamente o próximo adversário do Operário, no sábado (4), no estádio Valdizão, em Manaquiri. Carlos Tozzi não poupou criticas ao presidente do clube, Beto Ferreira, e ao jogador Clemilton, o qual diz ter o traído.

“Fui apunhalado pelas costas. O Clemilton sabia desde de início que ele iria assumir o time caso eu saísse. O nosso presidente não teve a humildade de vir conversar comigo frente a frente”, disse Tozzi, confirmando que achou melhor deixar o clube.

Beto Ferreira confirmou a saída de Tozzi, mas não quis comentar sobre a escolha de Clemilton para comandar o time diante do Manaus FC. “Estamos em reunião agora pra resolver isso. Não tem nada confirmado. O que não falta aqui é treinador pra comandar o time. Tem eu, tem o Pesado e outros aqui. Estamos decidindo. Até terça-feira (7) teremos um treinador novo na equipe”, disse o presidente do Sapão, não confirmando que Clemilton seja o técnico-interino no próximo jogo.

Debandada no Sapão

Junto a Carlos Tozzi deixam o Operário outros sete atletas, são eles: Agenor, Paulinho, Marcos Felipe, Moisés, Júnior, Nisão e Toró. Segundo o, agora, ex-treinador, todos deixam o Amazonas ainda esta terça em direção às suas cidades de origem.

Tozzi aproveitou para agradecer o apoio e dizer que gosta muito da região e que pode retornar ao Estado a qualquer momento para dirigir outra equipe. “Não saio daqui com raiva. Muito pelo contrário, adoro o Amazonas. Fui bicampeão aqui e pretendo deixar as portas abertas para outras oportunidades de trabalho”, finalizou.

Tozzi é o terceiro técnico a deixar uma equipe durante o Campeonato Amazonense. Antes dele, Frederico Braz pediu demissão do Iranduba e Sinomar Naves foi mandado embora do Nacional.



publicidade
publicidade
Educador indígena da rede estadual lança livro sobre a vida Munduruku
Curiosidade: nos primeiros anos, jornal A Crítica foi ‘onzeorino’
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.