Terça-feira, 12 de Novembro de 2019
Craque

Fumaça em Cingapura não atrapalha visão, mas saúde dos pilotos, diz Button

Como quase todos os adversários, o piloto da McLaren torce para que uma chuva forte dissipe a neblina densa que vem cobrindo Cingapura, resultado da queima de florestas



1.jpg Jensen Button falou até em máscara dentro do capacete
17/09/2015 às 14:18

Para Jenson Button, que está perto da lanterna do campeonato mundial de Fórmula 1, a perspectiva de uma tempestade tropical durante o Grande Prêmio de Cingapura, no domingo, é um alívio raro e bem-vindo.

Como quase todos os adversários, o piloto da McLaren torce para que uma chuva forte dissipe a neblina densa que vem cobrindo o minúsculo país sul-asiático, resultado da queima de florestas na vizinha Indonésia.



Button não acredita que a fumaça represente um risco em particular, dizendo que a visibilidade é boa o suficiente para os pilotos, e os helicópteros médicos não seriam necessários em Cingapura devido à proximidade dos hospitais em relação ao circuito.

Mas o britânico está preocupado com o perigo à saúde oriundo da inalação de fumaça durante a corrida.

“É muito difícil andar pelas ruas. Você sente o cheiro da fumaça, mas quando está dando o máximo de si no carro e tem que inalar bastante ar...”, disse ele à Reuters nesta quarta-feira, horas antes de partir da estância tailandesa de Phuket, onde vem se aclimatando.

“É um assunto sério, mas espero que melhore um pouco, porque pode ser um risco à saúde, pelo que li. Minha esposa até saiu para comprar máscaras, que ela usa o tempo todo. Ela é japonesa, então sempre as usa durante o voo... mas não tenho certeza de que vão encaixar em meu capacete, então isso pode ser um problema”.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.