Quinta-feira, 01 de Outubro de 2020
Futebol feminino

Futuro de Cavalo será definido em reunião nesta terça-feira

O treinador do Iranduba é o único profissional que restou do grupo que foi montado para o Campeonato Brasileiro de 2020



tecnico_iranduba_852D821C-75CA-4C00-86EA-6103FE9A1C8D.jpeg
14/09/2020 às 17:16

Depois de amargar a sua terceira derrota seguida, o Iranduba agora pode perder o técnico João Carlos Cavalo, o último remanescente do grupo que começou o Campeonato Brasileiro da Série A1. O treinador deverá desembarcar em Manaus junto com o resto do elenco na madrugada desta terça-feira e, segundo o próprio treinador, ele irá conversar com a direção para definir o seu futuro dentro da equipe.

“Quando eu chegar em Manaus ainda vou pensar bem no que fazer, pois tenho duas escolinhas de futebol e infelizmente não está coincidindo com o meu tempo. Quando eu chegar na capital e conversar com a direção, irei tomar uma decisão”, disse o treinador.



Quando perguntado sobre a possibilidade de ele pedir o boné e sair do comando técnico do Iranduba por conta própria, Cavalo respondeu: “Ainda vou conversar, mas isso é uma situação a ser colocada”. Vale lembrar que, antes da parceria 3B da Amazônia e Iranduba, o presidente das Feras, Bosco Brasil Binda havia efetivado o preparador de goleiros, Paulo Galvão e contratado a ex-zagueira da seleção brasileira, Renata Costa, a “Koki”, para ser sua auxiliar.

Time para Série A2

Em conversa para o CRAQUE, o presidente Bosco disse que a atual sequência de maus resultados não seria motivo para demissão do treinador. Ele ainda afirmou que quando conversou com o diretor de futebol do Hulk, Lauro Tentardini, a ideia sempre foi livrar o Iranduba do rebaixamento, e que o seu time foi montado pensando na Série A2.

“Quando sentei com o Lauro para conversar sobre os objetivos do clube para a competição, desde o início definimos que o intuito seria livrar o Iranduba do rebaixamento. Quando eu via gente da imprensa dizer que o time iria se classificar fácil, até questionei isso, pois precisamos colocar os pés nos chão. Eu montei um time pensando na Série A2, e nós estamos disputando contra times da Série A1, com folhas salariais que chegam ao triplo do que temos aqui, então na minha visão, os resultados estão tudo dentro de um normal”, explicou Bosco.

Na 12ª colocação e apenas um ponto na frente do Minas Icesp-DF, primeiro time que abre a zona de rebaixamento, o Hulk ainda terá mais seis partidas no Campeonato Brasileiro para decretar se irá permanecer na elite do futebol feminino para 2021.

Para o próximo confronto, o Hulk encara a equipe do Corinthians, no dia 23 de setembro (quarta-feira), às 17h (horário de Manaus), na Arena da Amazônia, pela 10ª rodada do Brasileirão.

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.