Publicidade
Esportes
Craque

Futuro incerto: jovem promessa do Nacional ainda sem destino para o restante do ano

O meia-atacante Hayllan, de 18 anos, se destacou no Naça nos últimos jogos da equipe no Brasileirão da Série D. Jogador recebeu oportunidade depois que o time foi eliminado da competição nacional  14/09/2015 às 17:56
Show 1
Hayllan "voou baixo" na vitória do Nacional sobre o Náutico-RR na despedida do Brasileirão da Série D.
Denir Simplício Manaus (AM)

“Há males que vêm para o bem”. O ditado é antigo e deve ser do conhecimento de todos. Inclusive da diretoria do Nacional, que resolveu apostar nos garotos das categorias de base do clube, depois da eliminação da equipe no  Brasileirão da Série D. Somente assim o torcedor nacionalino poderia ver em campo o jovem Hayllan. O meia-atacante foi um dos melhores em campo na vitória do Nacional sobre o Náutico-RR, na triste despedida do Naça no torneio.

Porém, mesmo sendo uma das gratas surpresas do Naça, o futuro do jogador de 18 anos é incerto, e mais uma promessa do futebol amazonense, assim como tantas,  pode ser desperdiçada.

Prata da casa

Depois de gastar cerca de R$ 400 mil mensais com o elenco de medalhões - que não conseguiu passar da 1ª fase do Brasileirão -, o Nacional dispensou parte dos jogadores e o jeito foi cumprir tabela com a “prata da casa”. Hayllan aproveitou a chance para mostrar seu futebol e animar a torcida do Leão da Vila Municipal.

Sem proposta confirmada de permanência ou empréstimo para outro clube no ano, o jogador continua na expectativa de ser aproveitado pelo Naça e ficar  no clube. “Quero crescer aqui no Nacional, que é um clube grande. Quero honrar essa camisa  dando show pra essa torcida que é maravilhosa”, revelou o jogador, que apesar de jovem, já peregrinou pelo Brasil.

Aos 15 anos, Hayllan foi aprovado no Santos e se tornou um “menino da Vila”. Mas uma mudança na direção das categorias de base do time santista mudou a trajetória do garoto. O menino de Manacapuru foi parar no Goiás, onde jogou por dois anos, até romper os ligamentos do joelho. Machucado e desmotivado, Hayllan por pouco não larga o futebol.


Com a ajuda da mãe, dona Sandra Ferreira, o garoto retornou aos campos. No Barezão 2015, Hayllan vestiu a camisa do Operário e marcou três gols e deu diversas assistências aos companheiros de time. O meia-atacante pede por mais oportunidades às categorias de base do Estado. “Não faltam jogadores, faltam pessoas comprometidas, que apoiem e ajudem os jovens a crescerem no futebol. A se tornarem verdadeiros jogadores de futebol”, disse.

O diretor executivo de futebol do Naça, Cláudio Silva, informou que Hayllan, assim como outros garotos da base do clube, devem ser emprestados para times locais para a disputa da Copa Amazonas. A promessa é que todos eles retornem para reforçar o Leão em 2016. 

Três perguntas:

1 - Qual a sensação de ser o segundo amazonense a marcar um gol na Arena?

Melhor sensação possível. Nem sabia. Fico muito feliz. Espero que esse seja o primeiro de muitos com a camisa do Nacional, em todos os estádios da Copa (risos).

2 - Qual o teu futuro no Nacional?

Ainda não sei. Estou esperando a diretoria vir conversar comigo. Minha intenção é ficar e dar alegrias pra essa torcida maravilhosa, que é gigante e merece todo respeito.

3 - O que a torcida do Nacional pode esperar do Hayllan?

Pode ter certeza que sempre vou dar o sangue em todas as partidas que disputar. Eu vou suar, vou correr demais e vou dar o meu melhor todas as vezes que tiver a oportunidade de entrar em campo.

Publicidade
Publicidade