Quarta-feira, 29 de Janeiro de 2020
Craque

Garotada faz bonito no ‘esquenta’ de Motocross, em Manaus

Pequenos pilotos se aventuraram em duas rodas com a nova pista feita a paralela da oficial, no Tarumã, Zona Oeste



1.jpg Gregory Mota mostra destreza ao realizar salto e olhar para a câmera fotográfica
23/01/2012 às 09:08

A Federação Amazonense de Motociclismo organizou um “esquenta”, neste domingo (22), visando o campeonato Amazonense de Motocross para a temporada 2012. Realizado na pista do Tarumã, a grande novidade ficou por conta dos pequenos pilotos que também poderão se aventurar em duas rodas com a nova pista feita paralela à oficial. Liberar adrenalina, afastar o stress, sentir emoção, desligar-se dos problemas não tem idade.

Com essa iniciativa, o motociclismo Amazonense aposta no nascimento de uma nova safra de pilotos para futuras competições. Uma garotada cheia de energia e garra para continuar a escrever com velocidade a história do motocross amazonense no futuro.



O grande incentivador dos novos talentos é o empresário e presidente da Federação amazonense de Motociclismo, Sergio Mota, “Temos uma filosofia do apoio e incentivo ao esporte, como forma de manter vivo o motociclismo no Amazonas. A pista que fizemos para esses garotos é a realização de um sonho. Acredito que esses pequenos podem dar muitas alegrias para nosso Estado e esperamos apenas que os empresários do setor também invistam e incentivem cada novo talento”, disse o empresário.

Correndo praticamente no quintal de casa, o garoto Gregory Mota, de apenas 6 anos, que já é destaque em competições regionais e nacionais, acredita que pode fazer bonito e seguir abrindo caminho rumo ao sonho de ser piloto profissional.

O jeito tímido esconde um piloto talentoso e agressivo, que hoje briga na ponta com competidores de toda América Latina. Ele ficou animado com o sétimo lugar na competição onde tinha os melhores pilotos do Brasil na categoria Mirim.

A ideia da Federação é trabalhar a categoria, já que é a porta de entrada para novas promessas do MotoCross.

“Vamos começar a preparar a terceira geração de pilotos amazonenses. Esses garotos irão receber uma atenção especial da Federação. Eles são o futuro do motociclismo no Estado”, disse Heraldo Crescencio, que também já foi piloto e é pai de uma das apostas na modalidade: Yuri Crescencio, que com 8 anos já desponta como campeão.

Sergio Mota - Presidente da Federação Amazonense de Motociclismo                                             

1 O que levou a Federação a tomar a iniciativa de fazer uma pista exclusiva para categoria mirim?
Estou à frente da Federação há quase dois anos e percebi que o motociclismo no estado tinha a necessidade de começar do zero. Daí veio a iniciativa de investir e fazer a pista para a categoria iniciante.

2 A falta de apoio tem prejudicado o crescimento do esporte na região Norte?
Eu não culpo os empresários pela falta de patrocínio. O que sempre faltou foi um projeto para que as pessoas apostassem nesse esporte. Hoje posso te afirmar que o Amazoncross tem uma grande estrutura para oferecer.

3 Você aposta no crescimento do motocross a partir da iniciativa de valorizar os novos talentos?
Com toda essa estrutura que temos os meninos facilmente poderiam figurar entre os primeiros lugares em eventos nacionais.

 

 

 

 

 

 

 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.