Publicidade
Esportes
FOCADO

Goleiro do Rio Negro fala sobre titularidade e esperança de levar o time longe

Regly tomou dois gols em três jogos e salvou o Galo em outros duelos. ‘Expert’ também com os pés, ele quer levar o Rio Negro à semifinal do Barezão 22/03/2018 às 06:45
Show zcr0322 01 p01
(Foto: Jair Araújo)
Camila Leonel Manaus (AM)

André Regly veio do Bangu para o Rio Negro como reforço, mas durante boa parte do primeiro turno foi reserva de Pablo. Na segunda parte da competição, recebeu a chance de ir para a meta do Rio Negro. Oportunidade que ele vem agarrando com todas as forças. Em três jogos levou dois gols, mas salvou o Galo em outras partidas. Agora com o duelo contra o Nacional, pelas quartas de final, ele espera chegar longe juntamente com o clube no Campeonato Amazonense.

“Eu tento colocar na minha cabeça que eu posso não ter nenhuma oportunidade, mas sempre que ela aparece tenho que estar pronto para atuar da melhor forma possível. E a gente trabalha para ter as melhores condições”, disse o arqueiro.

De acordo com o técnico Aderbal Lana, a oportunidade foi dada pela habilidade do goleiro com os pés e pelos ótimos lançamentos. A habilidade com os pés foi adquirido nos primeiros anos de futebol, quando ele jogava futsal.

 “Desde pequeno comecei jogando futsal e me ajudou muito nessa questão de jogar adiantado, de trabalhar com os pés e no campo procurei sempre me adaptar para que eu conseguisse dessa forma crescer e ter isso como um trunfo”, explica Regly, que comenta que muito desse talento com os pés cresceu por conta da confiança dos treinadores que trabalhou. “Meus treinadores me deram a liberdade de fazer isso, jogar adiantado, jogar com os pés”.

E o talento com os membros inferiores não se dá apenas nas saídas de bola. O jogador de 22 anos é o único goleiro na história do Bangu que tem um gol marcado. O tento foi de pênalti na vitória sobre o Volta Redonda por 1 a 0, em partida válida pela Copa Rio de 2016.
 

Rio-Nal

Com um jogo importante pela frente, Regly falou do desafio do clássico contra o Nacional, pelas quartas do Barezão. “A gente sabe que tem um jogo de extrema importância contra o Nacional é o maior clássico do estado e a gente vai buscar fazer o melhor jogo possível para classificar e levar o Rio Negro mais longe possível”, explica ressaltando que além de conquistar o turno, o time quer garantir calendário para o próximo ano, mas que primeiro “temos que buscar essa vitória contra o Nacional que é o que pode nos levar a galgar degraus maiores”, concluiu.


 

Publicidade
Publicidade