Publicidade
Esportes
Craque

Goleiro herói, sufoco no final e gramado irregular, Botafogo vence Timão e sai da lanterna

Torcida do clube carioca sofreu até o último minuto, mas saiu da Arena festejando. Mesmo com a vitória o Fogão segue na zona de rebaixamento, porém, respira aliviado e sonha com dias melhores 11/10/2014 às 23:03
Show 1
Gol de Wallyson que deu a vitória ao Botafogo.
Denir Simplício Manaus (AM)

O Corinthians vinha de vitória contra o líder do campeonato, o Cruzeiro, em pleno Mineirão e almejava entrar no seleto grupo das equipes que irão para a Libertadores. O Botafogo seguia sua sina de derrotas e amargava a última colocação na tabela. Cenário mais que perfeito para mais um triunfo do time do Parque São Jorge, certo? Errado. Isso é futebol, e o mais apaixonante dos esportes proporciona as mais improváveis surpresas a cada partida.

Diante de 20 mil expectadores, o ”milagre” do futebol se fez novamente. O Botafogo venceu não só a desconfiança dos críticos, mas também as adversidades que o cercam esta temporada. De crise técnica e financeira à dispensa dos medalhões do time, o clube da “Estrela Solitária” bateu o Corinthians por 1 a 0 e, além de deixar a lanterna do Brasileirão, ganha fôlego pra tentar fugir da zona de rebaixamento pra Série B.

Primeiro tempo morno

O jogo na Arena da Amazônia, localizado na Zona Centro-Oeste de Manaus, começou como já se esperava, com o Corinthians sufocando o “Glorioso” (como é chamado o Botafogo) em seu campo de defesa. Logo aos dois minutos de jogo Bruno Henrique arriscou de longe e o goleiro Helton Leite contou com a sorte e a bola explodiu no travessão.

Logo em seguida, foi a vez de Fábio Santos chutar forte após bola mal rebate por Rodrigo Solto. O Botafogo só chegou na área do Timão (apelido do Corinthians) aos 11 minutos, quando Wallyson obrigou o goleiro Cássio a rebater uma bola e na sequência evitar o gol de Rogério. O jogo seguiu sem muitas emoções com o time carioca marcando muito no meio, apesar de entrar com três atacantes.


Após cruzamento de Gabriel,  a bola bate no braço do lateral Fábio Santos e o árbitro marca pênalti. A polêmica da bola na mão ou mão bola voltou à tona e os jogadores do clube paulista reclamaram muito. Bola na marca da cal e depois no fundo do gol de Cássio, depois que Wallysson bateu forte no meio do gol. Placar: Botafogo 1 a 0 Corinthians. E assim seguiu até o final do primeiro tempo.

Segunda etapa empolgante

A volta dos vestiários mostrou mais uma vez um Corinthians pressionado o Fogão, enquanto o time carioca se segurava como podia na defesa. Até os atacantes do Botafogo desciam para ajudar a zaga, Wallysson e Rogério à todo instante ficavam na cola dos laterais corintianos. A primeira vez que o clube da Estrela Solitária ameaçou o gol de Cássio foi aos 21 minutos, com chute cruzado de Murilo.


O técnico do Timão, Mano Meneses, teve de sacar Fagner, que pediu pra sair e colocar o meia Jadson. E foi justamente em uma falta sofrida pelo ex-jogador do São Paulo que o Botafogo ficou com um a menos no gramado. Depois de segurar Jadson, o volante Bolatti recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso. Se com 11 em campo os cariocas estavam passando um sufoco, com dez as coisas se tornaram ainda piores.

A hora “H” do herói Helton

Depois da saída de Bolatti aos 26 minutos do segundo tempo, o final da partida parecia uma eternidade para os botafoguenses. Foram os 20 minutos mais longos que a torcida do Glorioso, que empurrava a equipe na arquibancada, viu na vida. O Corinthians foi pra cima do Botafogo com tudo e a partida se tornou um jogo de defesa contra ataque.


Foi aí que apareceu o goleiro Helton Leite. O substituto do ídolo Jefferson, que estava com a Seleção Brasileira, defendendo até pênalti cobrado por Messi, fechou o gol do Botafogo. Foram no mínimo quatro defesas fundamentais que evitaram a quarta derrota do Glorioso. No final, até om goleiro Cássio se lançou na área para tentar o cabeceio na cobrança de escanteio. Após o apito final do árbitro, a fanática torcida nas arquibancadas da Arena foi ao delírio.

Gramado foi alvo de reclamação

Tanto o técnico do Corinthians, Mano Meneses, como o comandante do Botafogo, Vagner Mancini foram unânimes em afirmar que o gramado da Arena da Amazônia está em más condições. O lado defendido pelo arqueiro do Botafogo na segunda etapa estava parcialmente destruído. Houve um momento, após uma das defesas do goleiro que ele arrancou uma enorme placa de grama e atirou sobre o próprio gol.


Na coletiva após a partida, o ex-técnico da Seleção Brasileira apontou as falhas no palco do jogo e alertou que o goleiro do Botafogo poderia ter se machucado gravemente por conta dos buracos na pequena área. Em alguns setores do campo, nota-se perfeitamente a ausência de grama e o “retoque” foi feito com areia. A administração da Arena, em conversa com dirigentes do time carioca prometeram resolver o problema para o jogo contra o Flamengo, no dia 25 de outubro.


Publicidade
Publicidade