Terça-feira, 23 de Julho de 2019
RUGBY

GRUA consegue vaga na semi do Pequi Nations e faz vaquinha para viagem

Através de vaquinha virtual, GRUA busca arrecadar R$ 30.000 para viagem a Cuiabá. Saiba como ajudar:



WhatsApp_Image_2019-06-21_at_21.59.42_B4F713CA-30B5-4DC4-B1BB-8CFCBF3EE0AD.jpeg No time masculino, que jogará a semifinal do Pequi Nations, são 28 atletas. Foto: Antônio Lima
22/06/2019 às 14:38

Ainda que o rugby não seja um esporte tão praticado na cidade de Manaus, tem time da modalidade que existe há aproximadamente 25 anos. É o caso do Grupo de Rugby da Universidade do Amazonas, criado em setembro de 1995 e que procura fazer com que o esporte cresça na Região Norte do país. O projeto surgiu com Marcelo Gordo, professor de Ciências Biológicas e que chegou à Universidade Federal do Amazonas no ano de criação do Grua - forma como é chamado em torneios. 

Convidando alunos da Universidade para jogarem o esporte, Marcelo conseguiu com que o projeto desse certo. O time se firmou como o principal da região e passou a colecionar títulos ao longo dos anos, como o pentacampeonato da Copa Norte, conquistados de 2012 a 2016. Embora tenha atingido o sucesso em campo, a falta de locais para treinos e de incentivos freiam o crescimento do esporte. Considerado o campeonato mais forte da região, a Copa Norte foi extinta pela grande dificuldade enfrentada pelos times em viajar e cumprir a agenda de jogos.

Não tendo mais a Copa Norte para disputar, o GRUA fez contato com times do Centro-Oeste para que a equipe manauara pudesse atuar no torneio Pequi Nations, onde participam times de Goiás, Mato Grosso, Rondônia e Distrito Federal. A tentativa deu certo. Com o torneio tomando outro formato, o GRUA conseguiu a classificação às semifinais. Com o jogo marcado para Cuiabá, o time buscar arrecadar R$ 30.000 através de vaquinha virtual para que o deslocamento de toda a equipe seja viável.

“As viagens são 100% bancadas pelos atletas. A vaquinha virtual foi uma ideia para ajudar a arrecadar fundos. Com a vaquinha já recebemos apoio de amigos, familiares e clubes de rugby de São Paulo e até do exterior”, afirmou Pablo Nogueira, vice-presidente do Grupo de Rugby da Universidade do Amazonas.

O Pequi Nations surge a partir de uma iniciativa própria dos times do Centro-Oeste. Na competição, mesmo com a falta de apoio e o alto custo para deslocamento, o GRUA somou uma vitória e uma derrota na fase classificatória - as partidas foram realizadas no mês de maio, em Brasília -, garantindo vaga nas semifinais, onde enfrentará o time da casa, Cuiabá.

“Entrando em consenso com os clubes, montamos um formato em que conseguiríamos participar. É o primeiro ano que o GRUA participa e está sendo o máximo disputar esse torneio”, destacou Caio Cruz, atleta e tesoureiro da equipe.  

Diferente dos dias atuais, o rugby já foi forte na capital amazonense, com boa quantidade de atletas e times estruturados e de tradição, como o Guerreiros Korubos. Atualmente, esbarrando na falta de estrutura e apoio financeiro, restaram três times, sendo o GRUA o mais atuante em torneios nacionais. “Falta incentivo da Confederação e apoio das secretarias de esportes. Temos amor e vontade, mas falta presença do poder público com o rugby”, completou Pablo. Também é objetivo do Grupo de Rugby do Amazonas fortalecer as categorias de base, para que assim, as próximas gerações continuem o projeto.

Receba Novidades

* campo obrigatório
News ac1 c11005fb a54c 4884 8608 3c793bab9e30
Repórter de A CRÍTICA

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.