Publicidade
Esportes
Craque

Habeas Corpus vence a 1ª Copa dos Advogados do Amazonas de Futebol Society

Acostumados a vestir ternos e se reportarem a juízes de Direito, os jogadores-doutores fizeram uma final muito acirrada, apesar do placar elástico 31/05/2013 às 10:51
Show 1
Jogadores do Habeas Corpus fazem a festa com o título
André Viana ---

A equipe do Habeas Corpus não deu a menor chance ao Revisão Criminal e foi a campeã de fato e direito (por motivos óbvios) da 1ª Copa dos Advogados do Amazonas de Futebol Society, realizada na quadra Happy Day, na avenida Max Teixeira, nº 1551, na Cidade Nova, Zona Norte. O problema é que, com a goleada imposta de 4 a 1, o campeão criou uma jurisprudência no Código de Processo Penal Brasileiro, pois foi a primeira vez na história   que um Habeas Corpus aplicou a sentença final em um processo iniciado há um mês, com um total de 16 equipes.

Acostumados a vestir ternos e se reportarem a juízes de Direito, os jogadores-doutores fizeram uma final muito acirrada, apesar do placar elástico. O vocabulário também era bem diferente do utilizado no Tribunal. Mas, Data vênia, em uma decisão esportiva nenhum advogado terá a carteira da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) cassada. A incontestável derrota na final frustrou os jogadores e a animada torcida - que compareceu em maior número ao campo, mas os advogados, que defenderam o Revisão Criminal asseguraram que não entrarão com um efeito suspensivo da partida. Na interpretação deles, o futebol, costumeiramente, é mesmo um esporte injusto.

As duas equipes finalistas entraram em campo apresentando mais vontade do que técnica dando trabalho à dupla de árbitros, Acelino Guedes e Ângela Nunes, que não tiveram receio de distribuir cartões para os dois lados (um deles vermelho). “Aqui (no campo) nós somos a autoridade. A diferença deste campeonato de advogados para os outros é que não somos chamados de ladrões e nem temos nossa integridade física ameaçada”, disse Acelino Guedes. Ângela Nunes lembrou de uma detalhe básico. “Eles (os advogados) sabem que estão passíveis de punição”.

O primeiro tempo terminou com a vantagem mínima para o Habeas Corpus, gol de Raphael Anunciação. No segundo tempo, o artilheiro Sérgio “Fred” Litaiff marcou o prometido gol para “vingar” a eliminação de seu Fluminense da Libertadores. “Eles (o Revisão Criminal) têm o mesmo uniforme do Olimpia (equipe paraguaia, que tirou o campeão brasileiro da principal competição das Américas). Isso me deu mais motivação”, contou depois. Belmiro Vianez e Breno Dantas consolidaram a goleada do Habeas Corpus. Renato Rinaldi descontou para o Revisão Criminal. O destaque da partida, porém, foi o goleiro campeão, Willian Simonetti. Suas grandes defesas minaram a confiança do Revisão Criminal. “No futebol, o maior orgulho de um goleiro é fazer justiça com as próprias mãos. Aqui é permitido”, disse ao fim da partida.

Publicidade
Publicidade