Quarta-feira, 17 de Julho de 2019
Craque

Handebol vai ter patrocínio de R$ 9,4 milhões para Olimpíadas de 2016

Entre 2010 e 2013, o Ministério do Esporte assinou oito convênios no valor de R$ 21 milhões com a Confederação Brasileira de Handebol, aplicados na preparação das seleções, organização de grandes torneios e estruturação de equipe de apoio multidisciplinar.



1.jpg Ministro dos Esportes do Brasil, Aldo Rebelo, esteve na cerimônia

O handebol brasileiro ganhou patrocínios de R$ 9,4 milhões do Banco do Brasil (BB) e dos Correios para melhorar a preparação das seleções masculina e feminina para as Olimpíadas de 2016. O banco destinará R$ 4,4 milhões, e os Correios, R$ 5 milhões.

Do total de R$ 9,4 milhões, R$ 6,4 milhões serão alocados no Plano Brasil Medalhas, que prevê R$ 1 bilhão para a preparação dos atletas para os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016, que ocorrerão no Rio de Janeiro. Os demais R$ 3 milhões serão destinados à formação de jogadores de handebol.

“Em 2016, o Brasil sentirá muito orgulho do seu handebol. Esse novo momento para o esporte só é possível porque já há uma base formada, com atletas de grande qualidade técnica. Com o apoio do BB e dos Correios, temos a perspectiva de dar estabilidade e continuidade a esse trabalho tanto na base, ou seja, na formação de novos atletas, quanto na expectativa da participação nas Olimpíadas, quando queremos duas seleções fortes”, disse hoje (10) o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, durante a cerimônia de lançamento dos patrocínios.

O evento também reuniu o presidente dos Correios, Wagner Pinheiro de Oliveira; o vice-presidente de Varejo, Distribuição e Operações do BB, Paulo Ricci; o secretário de Esporte de Alto Rendimento do ministério, Ricardo Leyser; o presidente da Confederação Brasileira de Handebol, Manoel Luiz Oliveira; e a atleta Alexandra Nascimento, eleita a melhor jogadora de handebol do mundo em 2012 pela Federação Internacional de Handebol.

A ponteira Alexandra entregou uma camisa da seleção para o ministro e comemorou o aporte adicional de recursos para a modalidade. “Esses convênios dão mais vontade de treinar para uma Olimpíada em casa. Os patrocínios dão mais estrutura para os atletas e vão ajudar muito na nossa evolução em busca de uma medalha olímpica,” disse a jogadora, que faz parte da seleção feminina que conquistou o sexto lugar nos Jogos Olímpicos de Londres em 2012 e o quinto no Mundial no Brasil em 2011.

Além dos convênios, a confederação recebe recursos da Lei do Incentivo ao Esporte (R$ 4 milhões) e da Lei Agnelo-Piva (R$ 12 milhões). O ministério está investindo R$ 12 milhões para a construção do Centro de Desenvolvimento do Handebol Brasileiro, em São Bernardo do Campo (SP), que servirá para a preparação das seleções nacionais, tanto adultas quanto de base. No handebol, 232 jogadores recebem o Bolsa Atleta.

 

 

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.