Sexta-feira, 28 de Fevereiro de 2020
TRICOLOR

‘Inativo’ desde a eliminação do returno, Fast conta os minutos para a final do Barezão

O Rolo Compressor vive a expectativa da decisão do Amazonense de Futebol. Após derrota em amistoso, Morgado avalia time ideal pra finalíssima



de.JPG Morgado elogiou o Princesa, mas acha Manaus mais complicado na decisão (Foto: Jair Araújo)
03/04/2018 às 12:16

Ao contrário do Nacional, o Fast Clube - campeão do primeiro turno do Barezão - tem calendário garantido para 2019. No entanto, o Tricolor de Aço estava “inativo” desde que foi eliminado do returno do Amazonense.

Com final do Estadual marcada para o próximo sábado (7), o Fast aguarda o vencedor do segundo turno entre Manaus FC e Princesa, que acontece amanhã, às 20h, na Arena da Amazônia. E para manter o time em atividade, o Rolo Compressor fez amistoso contra o Nacional no último fim de semana.



Mesmo derrotado pelo Naça, o técnico Paulo Morgado avaliou como positiva a participação de sua equipe.

“O que foi positivo contra o Nacional foi dar ritmo competitivo ao time porque nós estamos, praticamente, há três semanas sem jogar. Treinamos todos os dias, às vezes em dois turnos, pela manhã e à tarde, mas sempre falta um pouco de ritmo de jogo”, pontuou Morgado definindo a parte física como primordial antes da finalíssima.

No último fim de semana, o Tricolor disputou amistoso contra o Naça (Foto: Arlesson Sicsú) 

“Neste momento é fundamental preparar o time fisicamente pra chegar à final. Ainda não conhecemos o nosso adversário, apesar de tanto Princesa como o Manaus jogarem com o mesmo sistema de jogo. São características diferentes, mas o sistema de jogo é o mesmo por isso já estou preparando a equipe pro jogo de sábado, a final”, comentou o treinador do Fast avaliando os possíveis oponentes da decisão.

“São dois times muito complicados. Penso que o Manaus é o time que tem mais qualidade e mais soluções na defesa e ataque. Mas o Princesa tem surpreendido em termos de organização e de muita vontade”, opinou Morgado apontando o Gavião como o inimigo a ser batido na final.

“O Princesa vem demonstrado muita raça e tem se mostrado perigoso tanto jogando em Manaus como em Manacapuru. Mas penso que o Manaus mais forte com um elenco maior e penso que o Manaus pode ser um adversário mais perigoso do que o Princesa”, concluiu.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.