Publicidade
Esportes
Craque

Investigação conclui que Portuguesa 'vendeu' a vaga na Série A do Brasileirão

De acordo com o Ministério Público, ex-dirigentes da Lusa receberam dinheiro para escalar o meia Héverton, que estava irregular, propositalmente. O órgão tenta desvendar agora quem pagou para que o clube fosse punido e rebaixado para segunda divisão do Campeonato Brasileiro 12/11/2014 às 11:35
Show 1
O meia Héverton foi escalado premeditadamente e a Portuguesa foi rebaixada à Série B.
ACRITICA.COM Manaus (AM)

O Ministério Público do Estado de São Paulo finalizou parte das investigações envolvendo o caso de escalação irregular do meia Héverton, da Portuguesa. Na conclusão do inquérito, o órgão apontou que ex-integrantes da diretoria da Lusa foram pagos para escalar o jogador premeditadamente, com isso o clube foi punido e rebaixado à Série B do Brasileirão. O inquérito civil tenta descobrir agora quem pagou pelo erro proposital dos cartolas do time paulista.

Segundo as apurações do MP, o então presidente Manuel da Lupa e alguns de seus colaboradores foram beneficiados pelo erro do clube. Na época, o dirigente do clube permitiu que o jogador Héverton – que estava suspenso - fosse escalado na última rodada do campeonato, em jogo contra o Grêmio, no estádio do Canindé. A Lusa foi punida com a perda de quatro pontos no Brasileirão e acabou sendo rebaixada.

Menos de um ano depois a Lusa sofreu novo rebaixamento, dessa vez dentro de campo, agora para a Terceira Divisão do futebol brasileiro. A diretoria atual do clube paulista também faz uma investigação sobre o caso e nela o maior alvo é o ex-presidente do time. O que querem descobrir agora tanto MP quanto a Portuguesa é quem “comprou” a queda da equipe no ano passado.

Para isso o MP pediu a quebra de sigilo bancário de funcionários da Portuguesa para que seja concretizada a fraude. Segundo as investigações do órgão, os valores pela “compra” devem girar entre R$ 4 milhões e R$ 20 milhões e as principais suspeitas recaem sobre o Fluminense e o Flamengo, que estavam ameaçados do rebaixamento na competição em 2014.   

No entanto, as investigações do MP ainda estão em andamento, foi o que informou uma publicação do jornal O Estado de S. Paulo, na noite desta terça-feira (11). O polêmico caso deve durar até que o restante dos envolvidos prestem depoimento na sede do órgão, o que deve acontecer até fevereiro de 2015. Até lá o mistério sobre quem se beneficiaria com o rebaixamento da Portuguesa deve permanecer.


Publicidade
Publicidade