Sábado, 22 de Fevereiro de 2020
Brasileirão

Iranduba faz melhor estreia de sua história, mas vive 'saga' fora de campo

Após aplicar goleada histórica na Ponte Preta, fora de casa, Iranduba sofre atraso de quatro horas em voo para retornar a Manaus e ainda amarga falta de patrocinadores



Erica_Iranduba_4173A1A2-BB6D-47C7-81E1-812947BFFE5E.jpg Foto: ASCOM / Iranduba
11/02/2020 às 15:56

O Iranduba iniciou sua jornada na Série A1 2020 da melhor maneira possível, na verdade, o começo mais avassalador do Hulk em toda sua história na competição - ao menos dentro de campo -. Foram cinco gols marcados e nenhum sofrido diante da Ponte Preta, no domingo (9), no estádio Moisés Lucarelli. Até então, a melhor estreia do Hulk havia sido em 2017, diante do Kindermman com placar de 2 a 0. 
Em sete anos de primeira divisão, o clube venceu três estreias, perdeu a mesma quantidade e empatou uma vez. No ano passado, o time sofreu duro revés por 3 a 0 diante do Flamengo.

Drama extracampo



Já fora dos gramados, o time precisou enfrentar um verdadeiro ‘chá’ de cadeira para retornar de São Paulo a Manaus. Devido aos alagamentos na cidade, o voo da equipe amazonense foi atrasado. 
“Estamos com quatro horas de atraso em relação ao horário original do voo, devemos chegar por volta de 20h em Manaus”, disse o diretor de futebol, Lauro Tentardini antes de embarcar na tarde de ontem.

Além das dificuldades de logística, o Iranduba - atual detentor do recorde de público do campeonato nacional-, também vive drama no quesito patrocínio. Lauro Tentardini comentou sobre o fato.

“Fechamos com o atual patrocinador, só que, o pagamento seria feito através de criptomoedas e nós teríamos que fazer a conversão para dinheiro. Porém até agora essa ‘moeda’ não está no mercado e não recebemos nenhum centavo”, declarou sobre a situação delicada.
Atualmente o único clube amazonense na Série A1 feminina, o diretor está à procura de patrocinadores que estejam dispostos a apoiar o futebol feminino regional.

“Desde 2013 estamos na primeira divisão do Campeonato Brasileiro. Nós já lotamos a Arena da Amazônia, temos ajuda em relação a campo para treino, mas precisamos de dinheiro. Ano passado fomos semifinalistas do Brasileiro Sub-18”, disse o dirigente.

Com 16 novos nomes no plantel, o Iranduba possui folha salarial alta, além das categorias de base que demandam atenção e cuidado. 

“Só no ano passado, revelamos a Flávia que é de Manacapuru, convocada para Seleção Brasileira Sub-20 e a Marília que é de Manaquiri e foi convocada para a Seleção Sub-17, é um trabalho muito importante e não estamos tendo apoio. Estamos abertos e procurando patrocínio. Manaus tem condições de ajudar seu representante na primeira divisão”, concluiu Lauro, sobre a situação do clube octacampeão do Campeonato Amazonense, que também terminou em terceiro lugar na Libertadores de 2018. 
 

News whatsapp image 2019 06 21 at 16.12.51 7cbfadd4 8d2b 47cf a09e 336b83276e71
Repórter de A CRÍTICA

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.