Domingo, 05 de Julho de 2020
BAREZÃO 2020

Iranduba se prepara para o Brasileiro em meio à reformulação no elenco

Estreia na competição acontece no dia 9 de fevereiro, contra a Ponte Preta, fora de casa. No atual elenco de 30 nomes, 16 vão vestir a camisa do Hulk da Amazônia pela primeira vez



iranduba_A074A795-59F9-4A0E-A03B-BD1DCB556CFB.JPG Foto: Junio Matos/Freelancer
31/01/2020 às 09:11

Restando menos de duas semanas para o início do Brasileirão Feminino Série A1, as meninas do Iranduba intensificam os treinos para a estreia diante da Ponte Preta, fora de casa, em  São Paulo. O duelo contra a equipe paulista marca uma nova fase no Hulk da Amazônia, que renovou praticamente toda a equipe para a temporada 2020 e conta com 16 novidades no plantel de 30 jogadoras.

Treinando há duas semanas sob o comando do treinador do João Carlos Cavalo, o time tenta atingir o entrosamento, algo fundamental para um elenco que sofreu com saídas e passou por processo de reforumulação.



16 novidades para 2020

Atualmente, o elenco do Iranduba conta com 30 jogadoras. Destas, 16 são novidades e vão vestir a camisa do Hulk da Amazônia pela primeira vez. São elas as goleiras Camila e Awanny; as laterais Thalita e Thaís; as zagueiras Paulinha, Thamires; as volantes Taba, Gabi, Jaque, Suelen; a meia Tay; e as atacantes Kedma, Fabíola, Érica, Andressa e Karol.

Para igualar a qualidade técnica de adversários com capacidade para maiores investimentos - vale lembrar que neste ano a Série A1 terá presença dos grandes clubes do país, que passaram a ter times femininos para seguirem a nova regra imposta pela Confederação Brasileira de Futebol -, o clube amazonense mesclou experiência e juventude nas aquisições.

A volante Taba é a jogadora mais experiente das novidades. Foto: Junio Matos/Freelancer

“A gente procura errar o menos possível, mas algumas boas jogadoras não se adaptam, principalmente, ao clima nosso, que é muito diferente. Montei o elenco assistindo muito aos jogos de campeonatos do Nordeste”, revela Lauro Tentardini, diretor de futebol do Hulk, que também trouxe jogadoras com quem já tinha trabalhado, caso de Taba.

Missão 'permanência'

“Não cair para a segunda divisão”. Essas foram as palavras de Tentardini para definir o objetivo do Iranduba em relação à edição de 2020 do Brasileiro Feminino Série A1. Missão que é consequência de um time novo, que passa também pela falta de incentivo local.

“Não temos condições de fazer o investimento que outras equipes fazem. Infelizmente, não temos patrocinadores no estado do Amazonas. Fico feliz de ver Manaus e São Raimundo recebendo investimentos do Distrito Industrial, mas acho que a gente merecia um apoio daqui”, completou o dirigente do Hulk, que mantém a confiança. “Vamos enfrentar a Ponte e vamos fazer um bom jogo lá em Campinas”, finalizou Lauro.

News leonardo 9028af08 26fb 4271 b322 4409cded8370
Repórter do Craque
Jornalista em formação na Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e repórter do caderno de esportes Craque, de A Crítica. Manauara fã da informação e que procura aproximar o leitor de histórias – do futebol ao badminton.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.