Quinta-feira, 27 de Junho de 2019
LIGOU O SECADOR

Iranduba vence Princesa e espera Rio-Nal para confirmar permanência no Barezão

Caso o Rio Negro vença o clássico contra o Nacional nesta quinta-feira (4), Hulk retorna à segunda divisão estadual em 2020



IRANDUBA_ED075FDC-6FA5-4428-A721-6F87133409FA.JPG Foto: Denir Simplício
03/04/2019 às 18:59

Haja coração! Em partida que guardou as emoções para os minutos finais, o Iranduba venceu o Princesa do Solimões, na tarde desta quarta-feira (3), no estádio Carlos Zamith, e manteve viva a esperança de escapar do rebaixamento no Campeonato Amazonense.  Com gol de Vampeta aos 44 minutos do segundo tempo, o Hulk não apenas dorme livre da queda, como ainda sonha com uma vaga nas semifinais do Estadual.

O resultado de 1 a 0 sobre o Tubarão só não terá valor caso o Rio Negro vença o clássico contra o Nacional nesta quinta-feira (4), às 20h, na Colina. Se o Galo bater o Leão, o Hulk volta à segunda divisão do Barezão em 2020.

O jogo

O jogo não havia chegado a um minuto e o Princesa dá o primeiro susto no Iranduba, Canutama cruzou da esquerda e Binho cabeceou rente ao poste do goleiro Júnior. Depois disso, a partida só voltou a ter emoção dez minutos depois, quando Pitbull iniciou jogada que terminou na finalização quase à queima roupa do garoto Caique. Na base do reflexo, o goleiro Ferrari fez grande defesa.

O Hulk melhora no jogo e tenta apertar a saída de bola do Tubarão. Num desses lances, aos 15 minutos, Caique rouba a bola de Iton e tenta o arremate, mas o lance acaba sobrando para Neto Pitbull, que chuta prensado e a bola passa por cima da meta de Ferrari.  Aos 20 minutos, foi a vez do Princesa chegar ao ataque.  Toró e Canutama tramam pela esquerda e a bola sobra livre para Claudinei chutar tirando tinta da trave direita de Júnior.

As equipes se alternavam nos lances de perigo e, aos 26 minutos, Guilherme briga pela bola no meio de campo e passa para Branco. O camisa 10 do Hulk carrega, invade a área e na hora de fazer o gol chuta por cima do gol de Ferrari.

Aos 30 minutos, um momento pra lá de inusitado na partida. O técnico João Carlos Cavalo tenta promover a substituição do atacante Branco, que já havia levado cartão amarelo, pelo meia André, mas o camisa 10 do Iranduba se recusa a sair de campo e André volta para o banco de reservas.

O melhor lance do Princesa na partida aconteceu aos 37 minutos.  Em contra-ataque rápido, Thiago Bigo arranca de seu campo até passar para Claudinei, que chuta na trave de Júnior.  No rebote, Canutama fuzila para grande defesa do camisa 1 do Hulk.  No lance seguinte, foi a vez de Ferrari trabalhar em boa finalização de Branco, na última emoção da primeira etapa.

Na volta do intervalo, o Hulk voltou, mas o atacante Branco não.  O camisa 10, que se negou a sair de campo durante a partida parece ter sido convencido a dar sua vaga a André.  Logo aos 2 minutos, blitz do Hulk pra cima do Princesa.  Após pressão na grande área do Tubarão, Caique arruma espaço e chuta, mas a bola vai pra fora.

A pressão do Hulk continua e, aos 7 minutos, Caique sai driblando da esquerda para a direita até passar para Guilherme, que dribla o goleiro Ferrari e chuta pro gol vazio, mas do nada aparece o pé Salvador de Matheus Iton, que evita o gol do Iranduba.

Somente aos 20 minutos do segundo tempo é que o Tubarão resolveu atacar o Hulk. Binho cai pela esquerda e cruza no meio da área para a aparição surpresa de Toró, mas o volante não alcançou a bola. Aos 34 minutos, a partida entra na reta final e os nervos se afloram. Falta na entrada da grande área do Tubarão e Linno solta a bomba, mas a bola explode da quina do travessão.

O jogo chega aos 40 minutos do segundo tempo e o desespero chega no time do Iranduba com a mesma intensidade da chuva que desaba no estádio Carlos Zamith.  Só a vitoria interessa ao Hulk que luta contra o rebaixamento. O desafogo do Verdão irandubense chega aos 44 minutos.

Caique, sempre ele, faz grande jogada passando por três marcadores do Princesa até a bola chegar aos pés de Vampeta, que entrou na segunda etapa, para bater cruzado e marcar o gol que pode salvar o Hulk do rebaixamento. 

A arbitragem marca cinco minutos de acréscimos, mas o jogo termina debaixo de muita chuva e festa do banco de reservas do Hulk, que pelo menos até esta quinta-feira (4) - quando o Rio Negro entra em campo para a disputa do clássico Rio-Nal - está fora da zona da degola na classificação geral do Barezão, além de classificado para as semifinais do returno do Estadual.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.