Publicidade
Esportes
Craque

It’s Time Combat é marcado por lutas polêmicas e empolgantes em Manaus

O evento, que também teve um princípio de tumulto fora do octógono, contou com a presença vip do árbitro do UFC, Mário Yamasaki 15/07/2013 às 09:20
Show 1
O árbitro Mário Yamasaki (ao fundo) foi o árbitro do evento de sábado
Paulo Ricardo Oliveira ---

A terceira edição do It’s Time Combat teve lutas polêmicas e empolgantes, contou com a presença vip do árbitro do UFC, Mário Yamasaki, e literalmente foi quente: o calor açoitava o público, lutadores, imprensa e convidados no ginásio do Rio Negro, no sábado à noite. 

Contudo, o evento, que também teve um princípio de tumulto fora do octógono, durante a luta entre Alessandro Pitbull e Léo Jacaré, ofereceu momentos empolgantes a quem pagou R$ 20 por arquibancada e R$ 40 por cadeira especial. Na peleja mais esperada da noite, Jeferson Santos (Kratos) fez o oponente Jefferson Pedra “passear pelo vale da sombra da morte” com um nocaute aos dois minutos do segundo round. Após dominar o primeiro round, o atleta treinado pelo mestre Orlean Smith aproveitou o bom momento e golpeou Pedra até a interrupção de Mário Yamasaki.

O vencedor pulou a grade e partiu para abraçar a mãe, que estava nas arquibancadas. “Dedico essa conquista a minha mãe (Graciete), minha namorada (Vanessa Jeovana), meu patrocinador (MF Parafusos) e minha equipe”, declarou.

Na luta mais polêmica da noite, Alessandro Pitbull acabou desclassificado porque aplicou quatro chutes na região genital de Léo Jacaré, que valorizou bastante os golpes sofridos. “Eu vim aqui para fazer uma boa luta com ele (Pitbull). Mas ele me deu quatro chutes no saco. Isso não vale. É golpe ilegal. Eu queria agradecer a presença de todos aqui hoje (sábado) que pagaram o ingresso para ver um show. Não foi do jeito que vocês esperavam”, lamentou Jacaré.

Num dos combates mais disputados do evento, Rafael Dias, 19, fez valer seu gás e sua juventude sobre o experiente Paulo Oliveira, de 30 anos, da STF/Pro Fitness, pela categoria até 57 quilos. O atleta da SD System/Checkmat dominou o duelo e venceu na decisão dividida dos juízes. “Treinei forte e sofri muito para bater esse peso. Quero agradecer primeiramente a Deus e dedicar essa vitória aos líderes da minha equipe, Samir Nadaf e Sammy Dias, que estão em Curitiba e não puderam estar aqui. Essa vitória é pra eles”, dedicou Dias.

Yamasaki foi atração

A participação de Mário Yamasaki no It’s Time Combat fez parte do pacote da Secretaria de Estado da Juventude Esporte e Lazer (Sejel), que bancou a vinda do árbitro do UFC para oferecer um curso de atualização de regras aplicadas ao MMA para atletas graduados e árbitros locais. Como a secretaria apoiou o evento de sábado, o árbitro, conhecido por unir as mãos em formato de coração, atuou no confronto principal da noite.

Publicidade
Publicidade