Publicidade
Esportes
Dúvida

Jairo tem luxação no ombro direito e é dúvida para jogo contra o Rio Negro

O goleiro contou que durante o jogo contra o Nacional deslocou o ombro e que jogou no sacrifício 15/09/2016 às 19:42
Show  asl5660
Jairo irá fazer testes nesta sexta para ver se pode jogar no sábado (Foto: Antônio Lima)
Camila Leonel Manaus (AM)

O time do São Raimundo voltou aos treinos nesta quinta-feira (15), mas um dos jogadores não fez as atividades junto com o plantel. Trata-se do goleiro Jairo. O arqueiro do Tufão sofreu uma luxação no ombro direito e, de tipóia, conversava com o médico do clube e é dúvida para o jogo de sábado (17), contra o Rio Negro, na Arena da Amazônia.

Jairo relatou que a lesão aconteceu devido a dois lances que acertaram o mesmo local e que o ombro chegou a sair do lugar durante e teve que ser colocado de volta.

“Foi no segundo tempo. Depois de uma falta, a bola foi cruzada na área e o zagueiro veio e dividiu a bola comigo e foi a hora que eu senti o ombro e depois de novo. Com 30, 35 minutos do segundo tempo, o cara bateu uma bola rasteira cruzada e foi a hora que saiu do lugar. O doutor colocou  no lugar e de lá para lá só a dor, a dor, a dor e quando acabou o jogo me levaram no hospital e foi constatado uma luxação no ombro”, contou.

A recomendação médica era que o goleiro passasse de 15 a 20 dias em repouso, mas Jairo conta que com fisioterapia tentará abreviar o processo para voltar à meta são raimundense o mais rápido possível. O treinador Alberino ainda não descartou a presença do titular e disse que ele deve fazer uma avaliação nesta sexta-feira (16). Caso o jogador nãos e recupere, a vaga será decidida entre Darlan e Diego, goleirs reservas do São Raimundo.

No sacrifício

Quando sentiu o ombro pela primeira vez, o São Raimundo ainda tinha uma substituição para fazer, mas em prol do grupo, o arqueiro confessou que se manteve em campo.

“Eu abri mão porque o treinador queria colocar o Leozinho no jogo e a gente estava perdendo de 2 a 1. Eu aguentei os 11 minutos porque era importante para a gente tentar buscar o resultado e graças a Deus fui feliz. O cara não pode assumir isso até porque de repente se o cara chutasse uma bola no meu lado direito  e não conseguiria pegar. Mas graças a Deus, Deus nos abençoou”, declarou.

O goleiro também falou que o espírito da equipe e a busca da vitória foi o que motivou a continuar em campo.

“É um time hoje que está começando de novo. Um grupo unido e humilde e a gente precisando do resultado. É uma coisa que às vezes a gente não pode fazer, mas no calor do jogo a a gente faz. Teve uma hora que eu estava pegando a bola com a mão esquerda e assumi uma coisa que não poderia assumi, mas conseguimos e o espírito é esse, a união todo mundo e unido para buscar a classificação”, explicou.

Publicidade
Publicidade