Quinta-feira, 20 de Fevereiro de 2020
NOVO TALENTO

Jogador de Manacapuru faz sua estreia no Grêmio e já projeta novas chances no Imortal

Luiz Eduardo, o Dudu, estreou durante a Primeira Liga e agora espera brilhar por vaga no Campeonato Brasileiro



34642315983_854cbcd761_o.jpg O caminho até o Imortal Gaúcho foi bem longo, mas o manacapuruense Dudu garante que vai lutar firme para se consolidar no Tricolor do Rio Grande do Sul. (Fotos: Rodrigo Fatturi/Grêmio)
03/09/2017 às 06:15

A distância entre Manacapuru e Porto Alegre é grande. Em linha reta, são mais de 3.000 quilômetros e praticamente um País inteiro separando as cidades. O caminho é longo, como foi para o amazonense Luiz Eduardo Fleuri Pacheco, o Dudu, de 20 anos que estreou no time gaúcho na última semana. Aos 13 minutos do segundo tempo, o jovem de Manacapuru entrou em campo contra o Cruzeiro, pela Primeira Liga.

“Não era certo, mas tava na esperança porque na semana anterior eu tava revezando entre a titularidade e a reserva, mas tava confiante que ia entrar e, graças a Deus, tive a oportunidade de entrar no jogo. Foi uma sensação incrível ainda mais no Mineirão, um palco de grandes espetáculos do futebol e até agora não consigo descrever como foi. Até agora não caiu a ficha, estreei com a camisa do Grêmio profissionalmente”, revelou o jovem nascido na Princesinha do Solimões.

O tamanho da caminhada até o Imortal, no entanto, não pode ser medido somente com números. “A trajetória começou quando eu saí de casa com 16 anos recém completados. Inicialmente fui para o Itaberaí, no interior de Goiás, passei três meses lá, joguei contra o Vila Nova, chamei a atenção deles daí fui lá, inicialmente para o sub-17, depois sub-20 e em 2014 estreei pelo profissional do Vila Nova na Série B, na última rodada contra a Portuguesa, em São Paulo. Em 2015 comecei jogando a divisão de acesso pelo profissional, voltei para o sub-20 no meio do ano e em 2016 voltei para o profissional e no fim de agosto fui para o Grêmio”, relembrou o Dudu.



A ponte aérea, no entanto, não foi o maior problema do meia. “Antes disso tudo, tiveram dificuldades, claro, como ficar longe de casa. Foi uma experiência nova para mim, foi bastante difícil, principalmente no Itaberaí. Foi uma prova e tanto para eu seguir em busca do meu objetivo, do meu sonho”, lembrou.

Se inspirando em dois outros filhos da Manacá que brilham no futebol, Dudu, pretende ser o novo sucesso do Amazonas. “O Marcelinho e o Gustavo são dois excelentes jogadores, principalmente o Marcelo pela história que construiu, jogou Champions League. Sem dúvida, ele é o maior espelho para os garotos de Manacapuru e, com certeza, continuando no Grêmio, quero ser espelho para muitos garotos para que eles não desistam de seus sonhos  que podem alcançar, futuramente”, garantiu.
 




Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.