Quinta-feira, 25 de Abril de 2019
publicidade
IMG0017427745.JPG
publicidade
publicidade

VIAJADO

Jogador do Nacional é manauara, cidadão português e joga pela primeira vez no Amazonas

Carlos Daniel tem cidadania portuguesa, clubes da europa no currículo e carimbou volta ao time de coração da família


09/04/2017 às 06:25

Jogador amazonense, de 21 anos, disputando o Campeonato Amazonense. O perfil parece comum e quem vê o meia Carlos Daniel mal pode imaginar toda a viagem que o atleta já passou antes de vestir a camisa do Nacional no Barezão 2017.

O jogador saiu da sua terra natal ainda com 10 anos para se aventurar no mundo da bola. Fez parte das divisões de base do Vasco e Botafogo, passou pelo Gama até se aventurar longe do Brasil: Na Polônia. Habilidoso, Carlos não teve dificuldade para driblar eventuais dificuldades para o RKS Rakow e virou cidadão português para ter caminho livre na Europa. “Quando saímos, para a Europa principalmente, a cota para estrangeiro é muito baixa. Tem países, por exemplo a Polônia, que só tem vaga para um jogador. Como eu tinha a possibilidade, por conta da família da minha mãe ser de Portugal, eu peguei a cidadania portuguesa. Porque aí entro como estrangeiro, entro como europeu”, explicou o jogador. 

Depois da experiência internacional, o jogador recebeu convite para voltar ao futebol que quase não teve contato durante toda sua vida: o amazonense, justamente sua terra natal. O convite não poderia ser melhor, Carlos foi procurado pelo time do coração de sua família. 

publicidade

“Quando eu comecei a conversar com o José Reis (gerente de futebol do Nacional), ele me passou tudo isso, que seria muito bom para minha família, e para mim também, essa experiência , no maior clube daqui, seria muito bom para minha vida. A minha família nunca acompanhou de perto a minha trajetória, é muito boa essa experiência porque eles estão podendo ir ao estádio acompanhar tudo de novo e é muito bom para mim”, garantiu Carlos Daniel.

A volta à terra natal foi também marcada por um sentimento de nostalgia. Agora o jogador do Leão da Vila está no campo defendendo o time pelo qual o pai sempre foi ao estádio para torcer. “A minha relação com o futebol amazonense é mais da minha família porque eu sai daqui muito cedo então não acompanhei muito. Quando eu era pequeno, meu pai ia muito no estádio, sempre na torcida do Nacional e sempre me falou muito sobre o clube aqui. Então eu já tinha muita ideia do que era: o maior clube do Amazonas e um dos maiores do Norte”, garantiu ele. 

Para a festa ficar completa para Carlos Daniel, sua família e toda a torcida do Leão falta uma coisa: o título. Mas  assim como experiência, confiança é o que não falta para o jogador. “Nós vamos conquistar esse título amazonense para o Nacional. O grupo está muito fechado, com muita vontade disso”, finalizou o português-manauara do Nacional.

publicidade
publicidade
TJD-AM nega impugnação e Manaus é mantido como campeão do returno
TJD-AM julga impugnação de partida que pode mudar rumos do Barezão
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.