Domingo, 23 de Fevereiro de 2020
Craque

Jogadores do Holanda fogem da concentração e caem na farra: Presidente dispensa oito

Falta de profissionalismo irritou o presidente do clube que dispensou jogadores e aplicou multa, de 30% dos salários, a cinco deles



1.jpg Presidente, Paulo Radin, conversa com os atletas do Holanda
14/02/2013 às 11:48

Tentados pelos prazeres da folia de Momo, 13 jogadores do Holanda “pularam a cerca” no domingo de Carnaval, logo depois do jogo-treino contra o Nacional e fugiram do Centro de Treinamento do clube para conhecer os bares e as festas do município de Rio Preto da Eva (a 80 quilômetros de Manaus).

A falta de profissionalismo irritou o presidente do Holanda, Paulo Radin, que dispensou os atacantes Rael e Ricardinho, os meias-atacantes Alan e Macedinho, além dos zagueiros São Miguel e Chicão. Já os jogadores Maguila, Celsinho, Siboi, Weverton, Nelison e Júnior, não foram demitidos, mas sentirão no bolso a multa de 30% do salário.



“Alguns jogadores fugiram do Centro de Treinamento para tomar cerveja e namorar no Carnaval. Por isso afastei oito jogadores e multei cinco. O trabalho tem que ser sério e com profissionalismo. Comigo não existe esse tipo de comportamento”, disparou irritado Paulo Radin.

De acordo com o presidente do Holanda, depois de serem pegos na “farra”, alguns jogadores tentaram justificar a fuga dizendo que essas atitudes eram consideradas normais em outros clubes.

“A maioria desses jogadores são casados, tem filhos ou namorada. Teve um que falou pra mulher que havia ido a um culto evangélico e estava bebendo. Também havia mulheres no meio. Não tem nenhum jogador solteiro nessa ‘brincadeira’. Alguns ainda tentaram justificar que isso em outros clubes é normal. Faltou profissionalismo”, detonou Radin.

Exemplo

Para o presidente Paulo Radin, a falta de profissionalismo de alguns jogadores pode influenciar os mais novos que estão começando a carreira profissional no Holanda. Ele citou o exemplo do goleiro Paul Gerrard, 16, que desde o ano passado já atua no time profissional.

O cartola disse que por enquanto não deve haver novas contratações para a vaga dos oito jogadores dispensados.

“Estávamos com um plantel de 30 jogadores e vamos ficar com 22 atletas. Temos garotos que estão começando agora vindo das categorias de base do Holanda e não quero que sejam influenciados com esses maus exemplos”, afirmou o presidente do Holanda.

cidade pequenaDos oito jogadores dispensados, sete vieram de outros Estados. Somente o zagueiro Chicão era amazonense. “Todos estavam com os salários em dia. O Chicão tinha acabado de assinar contrato e foi jogar pelada pelo campeonato de areia do Rio Preto da Eva. À noite foi para o Carnaval. A cidade é pequena e ligaram dizendo que os meus jogadores estavam nas festas”, lamentou.


Mais de Acritica.com

23 Fev
ERALDO_LOPES_C44670D7-0ED7-41F9-95AF-E9CFF686E236.JPG

Pró-Menor Dom Bosco: novo local para continuar com missão social

23/02/2020 às 14:08

Projeto direcionado para jovens em vulnerabilidade social saiu do bairro Alvorada 2, Zona Centro-Oeste de Manaus, para se fixar no bairro Zumbi, Zona Leste da capital. O diretor da instituição, padre Felipe Bauziére lidera três frentes de trabalho: Menos aprendiz, Sonhar com futuro e Construir o futuro


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.