Publicidade
Esportes
ATRASO

Jogo entre Vasco e Flamengo pelo NBB atrasa após chuva molhar quadra

Previsto para as 13h deste sábado (11), jogo atrasou devido a risco de acidentes para jogadores. Após reunião entre arbitragem e comissões, partida deve iniciar às 13h35 11/03/2017 às 13:32 - Atualizado em 11/03/2017 às 23:18
Show jogo
Quadra ficou totalmente molhada por conta da chuva (Foto: Euzivaldo Queiroz)
Denir Simplício Manaus (AM)

Previsto para as 13h deste sábado, o duelo entre Flamengo e Vasco pela 25ª rodada do Novo Basquete Brasil (NBB) atrasou após forte chuva neste sábado (11). A chuva molhou a quadra da Arena Amadeu Teixeira e a quadra foi enxuta para o início da partida.                        

O risco de uma queda e consequentemente uma lesão mais grave dos atletas de ambos os times em quadra impossibilitou o início do jogo no horário marcado. O jogo iniciou por volta das 13h35.

De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), o problema das goteiras sobre a quadra da Arena Amadeu Teixeira pode ter sido causado pelo deslocamento da lona instalada sobre o sistema de ventilação do ginásio .

Ainda segundo a Sejel, o material colocado no teto da Arena era justamente por prevenção devido a uma possível chuva. 

Confira a nota do Governo do Amazonas
A Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel) informa que a paralisação logo no início da partida entre Flamengo x Vasco, neste sábado, dia 11, foi devido a água da chuva ter invadido o sistema de ventilação da Arena Amadeu Teixeira. A entidade esclarece que durante a semana que antecedeu o jogo, uma lona foi colocada na cúpula do ginásio e a medida foi testada várias vezes, inclusive com o time treinando em quadra, mas a forte ventania resultou que respingos atingem o palco da partida, que foi rapidamente solucionado pela equipe de limpeza e manutenção.

Para o próximo jogo, entre Flamengo e Brasília (dia 1 de abril), será realizado um estudo técnico para que o fato não se repita, mas a Sejel faz questão de deixar claro que o ocorrido não foi por falta de manutenção do ginásio e/ou goteiras, mas resultante da estrutura física, o qual seguiu parâmetros de construção.  

Publicidade
Publicidade