Publicidade
Esportes
GRANDES SONHOS

José Marcos desbrava São Paulo e quer voar alto no cenário internacional do vôlei

Conheça José Marcos, o jogador de vôlei amazonense que quer chegar longe no cenário da modalidade 04/05/2017 às 14:31
Show img0017429418
O jogador amazonense José Marcos hoje integra o Centro Olímpico de São Paulo, e sabe exatamente aonde desejar chegar. "Quero jogar na Liga italiana de vôlei!". (Foto: Antônio Lima)
Jéssica Santos Manaus (AM)

O jogador de vôlei amazonense, José Marcos, tem 17 anos de idade e um metro e noventa e oito centímetros de altura. O grande garoto também tem sonhos gigantes. Há cerca de três meses, ele passou a fazer parte do Centro Olímpico de São Paulo, que forma atletas de alto-rendimento para competir nas principais competições do Brasil e do mundo; e este é um dos objetivos de José Marcos, ser contratado para jogar numa grande equipe no exterior.

José jogava vôlei pela equipe do La Salle, em 2016, onde conquistou diversos títulos, mas o ano acabou, e ele não sabia como continuaria no vôlei, já que era seu último ano escolar. Assim, José Marcos estava de férias no Rio de janeiro, quando decidiu participar da seletiva para o Centro Olímpico. Foi para São Paulo uma semana antes, participou da peneira, e entre os 162 atletas inscritos, sendo 35 concorrendo para a posição dele (oposto), apenas dois foram selecionados, incluindo José. “Fiquei sabendo da seletiva durante as férias, e resolvi participar, porque se não iria desistir do vôlei. Hoje, estou muito feliz por estar vivendo isso aqui no Centro Olímpico”, disse José, que começou a treinar em São Paulo no dia três de fevereiro.

José Marcos vive em São Paulo junto com oito atletas do Centro Olímpico, além do supervisor. São cinco horas diárias de treinos, de segunda a sexta-feira. Lá, José tem acesso à estrutura ideal para sua preparação, que também inclui profissionais como fisioterapeuta e psicólogo.

O objetivo do Centro Olímpico é formar atletas que um dia possam chegar à seleção brasileira, e viver como atletas profissionais. “Nós participamos de competições e buscamos a vitória sempre, mas nosso foco é nos formar excelentes atletas”, disse José Marcos.

O atleta amazonense quer chegar cada vez mais alto. “Meu sonho é me profissionalizar, não no Brasil, respeito muito o vôlei brasileiro, mas almejo chegar a jogar uma Liga Italiana. E depois que passar minha ‘época’, pretendo voltar para Manaus, e mudar a realidade do vôlei local, quero ser técnico e presidente da Federação Amazonense.

Volta por cima

É a segunda vez que José passa numa seletiva fora do Estado. Da primeira vez, aos 15 anos, ele chegou a fazer parte do time do Flamengo por um ano, onde foi vice-campeão da Copa Brasil, mas acabou se contundindo depois, e teve que voltar para Manaus.

Foi quando o jogador ficou parado, engordou 23 kg e repetiu o ano na escola. “Meus pais tiveram a missão de me preparar para voltar a ficar bem, para me preparar para o que surgisse na minha vida. Eles sempre me disseram que não seria fácil, mas que iria valer a pena”, contou José. Apesar da dificuldade, José Marcos emagreceu, voltou a jogar, e hoje é uma aposta do Centro Olímpico.

Início no vôlei

José Marcos começou a fazer vôlei por acaso. Ele estudava numa escola pública e, lá, o professor pediu para que José o ajudasse a carregar as bolas usadas na aula. “O professor me disse que eu poderia jogar vôlei pela minha altura, e eu aceitei. Logo fui para a escolinha da Vila Olímpica, e depois joguei na Nilton Lins e no La salle, com bolsa de estudos, oportunidades que o esporte nos dá”, conta.

Grato, José fala das pessoas que o ajudaram a chegar ao esporte em alto nível. “Muito do que me fez estar aqui hoje, eu devo à Lilian, ao Harley, ao Marcelo, à Silvana, ao Alexandre do Rio, e ao Alexandre de Manaus, que me tornaram o jogador que sou, além dos meus pais e da minha irmã, a quem quero servir de exemplo, quero que ela se orgulhe de mim e, como jogadora de vôlei, chegue muito longe”, disse ele.

Publicidade
Publicidade