Sexta-feira, 24 de Maio de 2019
JOVEM

Piloto de motovelocidade se divide entre as pistas do Kartódromo e entrega de lanche

Thiago Eduardo é bi campeão amazonense de motovelocidade na categoria Mv1 principal. O piloto compete no esporte motorizado há três anos



Thiago_Motovelocidade_451875BA-14FA-4F96-8907-04E46FE52399.jpg
Foto: Márcio Silva
20/04/2019 às 05:30

No pequeno ‘Lanche Delivery do Grau’, localizado na rua Desembargador Gaspar Guimarães, Parque Dez, muitas pessoas não imaginam a grande relação do jovem proprietário do lanche e entregador, Thiago Eduardo Corrêa, 20, com a motovelocidade.

Apesar do trabalho árduo semanal nas entregas do lanche por aplicativo de comida, o esporte motorizado é algo bastante presente na vida do jovem piloto manauara da equipe Oficina do Chupeta. E como principal referência, a figura de seu pai James Bala, ex-piloto e presidente da Liga Amazonense de Motociclismo (LAM), levou Thiago Eduardo a ter paixão pelas pistas.

“Antes de eu nascer, meu pai já corria, e desde pequeno ia para Vila Olímpica vê-lo. Sempre tive vontade de correr, mas meu pai nunca deixava, aí quando completei 18 anos, tive minha primeira moto. Mesmo ele não deixando, apareci lá na corrida, corri e foi desde aí que eu comecei”, relatou o piloto.

No começo, toda insistência e vontade de ‘tirar uma chinfra’ no asfalto do Kartódromo da Vila Olímpica, não passava apenas de uma aventura de jovem cheio de adrenalina correndo nas veias, mas aos poucos, o namoro entre o Thiago e a motovelocidade virou ‘casamento’.

“No começo eu fui só por ir mesmo, mas hoje não, eu já ganhei duas vezes o campeonato amazonense (categoria MV1 principal) e agora tô disputando de novo, e pra mim agora é um esporte, é um esporte que eu levo a sério”, ressaltou Thiago Eduardo.

Com a mudança de patamar na relação entre Thiago Eduardo e o esporte motorizado, foi preciso pensar além, e dessa maneira o jovem piloto precisou comprar a primeira motocicleta.“Eu ainda trabalhava de menor aprendiz em uma linha de produção no Distrito, quando consegui comprar minha primeira moto. O custo dela é de 300 reais na minha categoria”, relatou o piloto Thiago Eduardo.

A rotina de treinos, nos dias de segunda e quarta-feira à noite no Kartódromo, revezada com a dedicação nas entregas no lanche, revelam o esforço diário do trabalho de Thiago se manter no esporte.  

“Eu trabalho de segunda a segunda no lanche, mas folgo uma vez na semana, ou na segunda, ou quarta, que é pra eu ir treinar, e no domingo da corrida que eu folgo também”, explicou Thiago.

Além de todo empenho, um dos maiores valores na vida do jovem piloto é seguir representando o nome da família no esporte. “Pra mim, é uma honra levar o nome do meu pai (James Bala), que é um dos fundadores do esporte aqui no Estado. Agora, ele tá só organizando e eu tô correndo e continuando com o legado dele”, destacou Thiago Eduardo.

Texto: Gabriel Ferreira, repórter do CRAQUE/Jornal A crítica

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.