Publicidade
Esportes
Craque

Judô: Felipe Kitadai e Nathália Brigida ficam em 5º no Mundial Astana 2015

Brasil chegou a duas disputas de medalhas na abertura da competição. Nesta terça (25) lutam Charles Chibana e Érika Miranda 24/08/2015 às 13:14
Show 1
Felipe Kitadai no Mundial de judô em Astana, no Cazaquistão
acritica.com ---

O Brasil teve quatro atletas de judô da categoria ligeiro em ação no Alau Ice Palace e chegou a duas disputas de medalhas no primeiro dia do Mundial Astana 2015. Felipe Kitadai e Nathália Brigida fizeram boas campanhas e terminaram na quinta colocação. O medalhista de bronze em Londres venceu quatro das suas seis lutas mas acabou fora do pódio ao sofrer o ippon do japonês Toru Shishime, algoz do também brasileiro Eric Takabatake nas oitavas-de-final. A estreante em Mundiais Sênior, Nathália, também fez uma excelente campanha chegando até as semifinais mas sofreu duas derrotas seguidas para as japonesas Haruna Asami e Ami Kondo e terminou num honroso quinto lugar.

“É triste fazer uma cmapanha tão boa quanto eu fiz nesse Mundial que foi muito forte e sair sem medalha. Mas não foi ruim, foi bom porque deu pra perceber que o trabalho está sendo feito da maneira correta. O mais importante foi ver a evolução. Isso serve de motivação para buscar uma medalha em 2016”, disse Kitadai.

“É meio frustrante por causa de toda preparação que tive para o campeonato e também porque eu estava me sentindo muito bem, muito confiante. A derrota foi para um adversário forte mas sei que dava para chegar a uma medalha. Agora é analisar os erros e me preparar ainda mais para a próxima”, disse Takabatake, que antes de ser derrotado por Shishime, passou pelo chinês Hui Li e pelo espanhol Francisco Garrigos, campeão mundial júnior.

O atleta da Sogipa passou por Otar Bestaev, do Quirquistão; José Ramos, da Guatemala; e Vicent Limare, da França. Nas quartas, derrota para o mongol Boldbaatar Ganbat. Na repescagem, vitória sobre o sul-coreano In Hyuk Choi, e na luta pelo bronze, uma derrota para o japonês Shishime, medalhista de bronze no último Mundial Sub 21.

Já Nathália também teve quatro vitórias e duas derrotas em sua campanha. Ela passou por adversárias sem grande expressão como Cristina Budescu, da Moldávia, e Ana Zhumali Kyzy, do Quirquistão, mas também por nomes do top do ranking mundial, como a turca Dilara Lokmanhekim e a romena Monica Ungareanu. Depois vieram duas derrotas para ex-campeães mundiais, as japonesas Haruna Asami e Ami Kondo.

“Mesmo tendo saído sem medalha, fiquei contente com a competição que eu fiz, passei por atletas difíceis, tops. Outras de alto nível ficaram pra trás. Acho que foi uma boa estreia e saio da competição com uma evolução, um aprendizado muito grande. Queria a medalha, sei que era uma meta possível e já estou pensando em corrigir os erros porque tem outras competições importantes pela frente”, disse Brigida.

Sarah Menezes também competiu nesta segunda, dia 24, mas não resistiu à belga Charline Van Snick, medalhista de bronze nos Jogos de Londres e no Mundial do Rio 2013. Van Snick ficou fora do Circuito Mundial um ano por conta de um doping mas tinha chegado ao pódio em cinco das seis competições que havia feito desde então.

“Fiz uma preparação muito boa, estava muito confiante mas cai numa chave muito dura e não tive sucesso na primeira luta. Perdi para uma atleta por uma punição e quando fui arriscar uma entrada já no final da luta, acabei tomando um contragolpe. Ela teve uma estratégia muito boa e conseguiu me superar. Agora é levantar a cabeça e seguir treinando para ir melhor nas próximas competições”, disse Sarah.

O Mundial continua nesta terça-feira e o Brasil terá dois atletas em ação: os meio-leves Charles Chibana e Érika Miranda. As disputas por medalhas começam às duas horas da manhã e o bloco final (a partir das quartas-de-final) às oito, tudo no horário de Brasília. SporTV, Esporte Interativo, ESPN e BandSports transmitem a competição.

Com informações da Confederação Brasileira de Judô

Publicidade
Publicidade