Sexta-feira, 30 de Julho de 2021
FUTEBOL

Kadu, artilheiro do Peladinho recebe prêmio e tem o sonho de jogar no Fluminense

O jovem que tem passagens por times de futebol e futsal, recebeu o prêmio pelos nove gols feitos no torneio de 2020



buibui_586C99CD-2825-4C38-B29C-14D89A7135D8.JPG Foto: Arlesson Sicsú
16/06/2021 às 17:04

Sonho, substantivo masculino, anseio ou vontade permanente, viva e constante; ideia que uma pessoa almeja com veemência e paixão. É isso que o jovem Carlos Eduardo Nunes Sousa, mais conhecido como Kadu, de apenas 14 anos, vem conquistando desde quando era criança. A reportagem do A Crítica conversou com ele e o pai Carlos para saber um pouco mais dessa história.

De acordo o pai, a história que começou quando o filho era bem pequeno, é linda e louca ao mesmo tempo.



“Eu comecei com 4 anos de idade na Escolinha do Bolinha porque minha mãe não aguentava mais eu quebrando lâmpadas e as janelas da garagem, aí meu pai me colocou nessa escolinha onde fiquei até 5/6 anos. Certo tempo meu pai me levou no Guerreirinhos Manaus para fazer uma peneira, onde fui aprovado sem ter a idade mínima, ficando lá até 2019”, contou Kadu.

O seu Carlos disse que viu essa peneira pertencente ao Fluminense enquanto estava pela rua: “Uma certa vez eu passando pela Recife, nesse tempo o sentido dela era o contrário do que é hoje, próximo ao posto Marreiros tinha um outdoor que teria uma peneira do Fluminense para meninos a partir de oito anos, peguei o número do telefone e liguei perguntando se meu filho poderia fazer essa avaliação só que ele tinha 6/7 anos, me falaram que era muito novo, mas insisti e acabaram deixando”, relembrou.

O pai de Kadu também disse que, durante a sua temporada aqui em Manaus, ele participou de muitas competições sendo campeão em quase todas: “Campeão Amazonense Sub-11 pelo Recanto Futsal (2016), Campeão Amazonense Sub-13 pelo Guerreirinhos Futsal (2018), Campeão Amazonense Sub-13 futebol de campo pelo Guerreirinhos, Campeão da Goal League (2019), sendo o melhor jogador e artilheiro do peladinho pelo Guerreirinhos (2020)”, relatou.

Atrás do sonho em SP

O jovem jogador também passou uma temporada no estado de São Paulo participando do projeto Codó que acontece no distrito de Guaianases, e morando na cidade de Vinhedo precisava se deslocar em um trajeto que durava mais de 3 horas, tudo isso com a ajuda do seu Carlos que já morava lá pois foi em busca de oportunidade para o filho.

“Eu conheci esse projeto através de um amigo de Manaus, ele me deu o contato do diretor que se chama Alef, eu mandei uns vídeos dos gols dele feito no Campeonato Amazonense e ele gostou”, relatou o pai.

Kadu descreveu como era essa rotina intensa: “Era muito complicado de ir porque nós moramos em Vinhedo, leva uma hora até São Paulo (capital) e para o projeto dava duas horas de viagem, pois fica na zona sul. Para chegar nos treinos meu pai tinha que fugir do trabalho para me deixar na estação de Jundiaí e de lá eu ia para Guaianases, onde fica o treino que dá duas horas de Jundiaí e fazíamos isso todos os dias”.

Com o começo da pandemia do novo coronavírus e o projeto em pausa, o jovem voltou para Manaus e em setembro participou do Peladinho 2020 pelo Guerreirinhos, onde conseguiu o feito de ser artilheiro da competição, com nove gols.

“Foi uma gratificação muito grande, porque ser artilheiro de uma competição como essa é de grande valia para quem almeja ser um jogador, e comigo não foi diferente. Espero que esse feito possa abrir portas”, contou agradecido.

Mas não para por aí, como toda boa competição, os melhores jogadores são premiados pelos seus feitos e com Kadu não será diferente, na noite desta terça (15), ele foi premiado pela artilharia no campeonato.

Animado e ansioso, ele disse: “É uma sensação única de colocar a mão nesse troféu e agradecer a Deus por essa conquista, pois todo centroavante sonha com isso”.

Questionado sobre seus gols, o jogador respondeu: “Todos os gols são importantes, seria mais importante se meus gols tivessem levado meu time até a final, mas infelizmente não deu”. Relembrou o jogo em que mais marcou: “O jogo contra os Jovens Guardiões eu fiz três gols no CT do Nacional”. E disse esperançoso: “Espero receber muitos ainda se Deus quiser”.

Sonhos

Durante a entrevista, o pai contou que o filho tem o sonho de jogar no Fluminense e ele confirmou: “Meu sonho é jogar no Fluminense e entrar no Maracanã lotado vestindo a camisa, a competição é a que menos importa no momento, mas vestir a camisa do Fluminense é tudo”.

“Esse sonho é desde de criança mesmo, estou buscando realizar, mas infelizmente essa pandemia atrasou um pouco, não só o meu sonho mas sim de muitos jovens que também sonham um dia ser um jogador. Não vejo a hora de voltar a fazer o que eu gosto que é jogar futebol”, desabafou.

E é como diz a música do MC Gui: 'Sonhar, nunca desistir, ter fé, pois fácil não, nem vai ser', se a vida do jovem Kadu fosse resumida em alguma canção poderia ser essa. Fica a torcida para que esses anseios venham a se concretizar.

Alice Pereira
Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.