Publicidade
Esportes
Craque

Leão 100%: com golaços e polêmica, Nacional vence amistoso com Fast Clube

Naça venceu o duelo com o Tricolor por 2 a 1 e segue invicto na temporada. Tradicional clássico Pai-Filho marcou a estreia do Rolo Compressor no ano e foi esquenta para a pré-Copa Verde 31/01/2016 às 15:00
Show 1
O zagueiro Fabiano marcou o gol polêmico gol da vitória do Naça sobre o Fast.
Denir Simplicio Manaus

O Nacional venceu o amistoso com a equipe do Fast Clube, na tarde deste sábado (30), no estádio da Colina, e continua invicto no ano. Com direito a belos gols, lance duvidoso e invasão de campo por parte de dirigentes fastianos, a partida serviu como preparação para ambos os times na temporada. Naça e Tricolor de Aço são os representantes amazonenses da Copa Verde que inicia em fevereiro.

Como não poderia deixa de ser, o clássico Pai-Filho foi quente. A começar pela temperatura, que esquentou mais os nervos dos atletas em campo. Para o Nacional, o amistoso com o Fast - o terceiro somente em janeiro - serviu para manter a invencibilidade do Leão da Vila Municipal. Para o Rolo Compressor - com time repletos de garotos da base - foi a chance de testar a equipe que tentará avançar na Copa Verde de 2016.

Com belíssimos gols de Charles e Fabiano, para o Nacional, e Serginho, para o Fast, o Naça bateu o Tricolor por 2 a 1. O duelo também foi marcado por reclamação, invasão de campo e paralisação do jogo. 

Jogo "pegado"

De amistosa a partida entre Naça e Tricolor não tinha quase nada. Enquanto o Leão, que treina desde o início de dezembro, tentava impor seu toque de bola, a equipe fastiana, repleta de garotos da base e que voltaram a treinar esta semana depois da eliminação da Copa São Paulo de Juniores, jogava no erro dos nacionalinos.

De pé em pé os jogadores do Nacional buscavam uma brecha para finalizar a gol. O Fast tentava o contragolpe sempre que o Naça errava um passe. Como penetrar a defesa do Tricolor não estava fácil, o jeito foi arriscar de longe e aos 23 minutos, Charles recebeu a bola do atacante Tiago Verçosa e acertou um belo chute de fora da área, no ângulo do goleiro Bruno Saul, que nada pode fazer. Naça 1 a 0.

Aos 34min, foi a vez de Rafael Silva tentar depois de erro de saída de bola do Fast. No setor defensivo do Naça, o zagueiro nacionalino Vítor e o atacante fastiano Geraldo travavam uma batalha pessoal e deram trabalho para a arbitragem.

Depois do gol o time comandado por Darlan Borges com a coordenação técnica de Sérgio Duarte começou a encurralar o Nacional. A equipe treinada por Heriberto da Cunha cedeu espaço aos garotos do Tricolor e aos 40 minutos, após passe de Geraldo, o volante Serginho - filho de Sérgio Duarte - colocou a bola na gaveta do arqueiro Roberto Dias: 1 a 1 e fim de primeiro tempo.


Na segunda etapa o Naça voltou a cadenciar o jogo, enquanto o Fast imprimia velocidade sempre que tinha a bola nos pés. Aos 14 minutos, entra em campo o veloz Jackie Chan e com ele a esperança de gols do Tricolor, mas foi o Naça que voltou a assumir o placar. 

Aos 17 min, a bola é alçada na área do Tricolor e o goleiro Bruno Saul a disputa no alto com o zagueiro Fabiano. Depois do choque no ar a bola sobra pro camisa 4 do Leão, que de bicicleta faz um golaço. Nacional 2 a 1 pra cima do Rolo Compressor.

Confusão armada

Os jogadores do Naça se abraçam comemorando o gol, enquanto os atletas do Fast cercavam o árbitro Reginaldo Vasconcelos. Tumulto, empurra-empurra e jogo paralisado. Os dirigentes do Fast, Tiago Durante, Rodrigo Novaes e o vice-presidente do clube, Cláudio Nobre, vão tirar satisfação com a arbitragem e ameaçam tirar o time de campo.


Após 8 minutos de paralisação o jogo recomeça sem o treinador Darlan Borges à beira do gramado. O técnico do Fast foi expulso e Sérgio Duarte comanda o restante do duelo, que ainda contou com lances de perigo para ambos os lados, mas ficou nisso. O Naça vence mais uma e continua com 100% de aproveitamento no ano.

O Fast, que segundo o vice-presidente Cláudio Nobre, ainda busca recursos para que a equipe dispute a pré-Copa Verde - corre contra o tempo, já que tem confronto marcado com o Águia de Marabá-PA, no próximo dia 6 de fevereiro, pela competição interestadual e ainda busca reforçar o time para o torneio.     



Publicidade
Publicidade