Publicidade
Esportes
Mercado

L. Paraíba fala sobre transferência frustrada para o Naça e diretor nega proposta

O jogador que chegou a ser cogitado como contratação do Naça fala que descobriu que clube havia desistido da contratação através dos torcedores 11/04/2016 às 21:27
Show leo paraiba defendeu nacional estadual acrima20141209 0039 15
O jogador defendeu o Leão da Vila Municipal em 2014 e tinha a expectativa de voltar ao Naça (Foto: Arquivo/ AC)
Camila Leonel Manaus (AM)

Na semana passada, era quase certo que Léo Paraíba seria um reforço do Naça para a temporada de 2016, mas o retorno do jogador para a Vila Municipal acabou não acontecendo e sobrou mal entendidos e justificativas. Após o jogador receber uma proposta do Nacional, aceitar vestir a camisa do Leão Amazonense e pedir desligamento do Remo, a diretoria do Naça informou que Paraíba não estava nos planos do clube.

Segundo o jogador, que atuou no Naça em 2014, o diretor de futebol do clube amazonense, Gilson Mota, entrou em contato por telefone e fez a proposta para que ele voltasse ao Leão da Vila Municipal. A ligação aconteceu no dia 4 de abril, antes do jogo entre Remo e Paysandu.

“Ele me ligou, fez uma proposta que queria que eu voltasse para o Nacional porque me queria que eu jogasse no time e pela torcida.E tudo certo e disse que ia conversar com a diretoria. Isso foi na sexta. No domingo, depois do Re x Pa, a diretoria do Remo me chamou e veio perguntar sobre a especulação que o Nacional tinha feito proposta. Na segunda-feira treinei normal. Até que eu pedi para sair e o Fred Gomes, que é do executivo do Remo falou que adiretoria do Nacional ligou dizendo que me queria”, relembrou.

Léo informou que soube que foi vetado pelo Nacional através de torcedores que falaram com o jogador através de redes sociais.

“Descobri com a torcida. Eles estavam ansiosos com a minha volta. Não só eles como eu também. Ouvi alguns torcedores falarem comigo nas redes sociais.Eles nem me ligaram para avisar. Eu fiquei muito triste, mas bola pra frente”, comentou.

Sem clube, Léo voltou para a cidade de Imperatriz, no Maranhão e hoje mora com a sogra junto com a esposa e os dois filhos. Sobre o Nacional, ele se diz chateado, mas não culpa o Nacional.

“Eu fiquei chateado. Não só eu como a minha familia. As pessoas sabem do meu caráter, a pessoa que eu sou. Eu queria voltar, tinha um carinho pelo Nacional e a questão não foi proposta boa ou ruim, não. Eu tenho um carinho pelo clube. Eu tinha um ano de contrato com o Remo e saí. Isso não existe. O cara (Gilson Mota) foi muito mal nisso, muito mau caratismo, mas o Nacional não tem culpa e cabe ao Nacional rever isso porque isso pode prejudicar eles mesmos”, completou.

‘Não fizemos propostas’

O diretor de futebol do Nacional, Gilson Mota admitiu que conversou com Léo, mas negou que tenha feito proposta ao jogador.

“Eu conversei com o jogador sim. Perguntei como ele estava, como estava no Remo, mas em nenhum momento eu fiz proposta para ele vir para o Nacional. Então ele surgiu dizendo que iria pedir a conta do Remo e eu conversei com ele, falei para ele não fazer isso porque tinha que conversar com a comissão técnica e com a diretoria”, se defendeu Gilson.

O clube do Remo chegou a publicar em sua conta no twitter sobre a ida do jogador para o Nacional e a assessoria confirmou a proposta nacionalina, mas Gilson nega e afirma que Léo não veio para o Nacional porque a comissão técnica achou que Léo não surpiria as deficiências do time.

“Não foi oficial. Ele estava na lista de dispensa do novo treinador. O Remo estava com ele e um jogador chamado Potita. Eu fiquei de conversar com a diretoria do Nacional. Não cheguei a confirmar e a comissão disse que queria um jogador centro avante que jogue por dentro e o Léo joga pelas pontas e jogadores nesta característica nós já temos”, completou.

Publicidade
Publicidade