Terça-feira, 19 de Novembro de 2019
CLÁSSICO RIO-NAL

Leoas do Naça abatem Rio Negro por 3 a 1 e entram no G4 do Barezão Feminino

Como dado importante desse duelo, as duas equipes disputaram dois jogos valendo vaga na Copa do Brasil em 2007, classificando o Rio Negro



12899143-539C-4FB1-BC93-ED8C3EEF5116_DE3CA2F2-113A-479A-8256-2E755F3BE09A.jpeg Foto: Sandro Pereira/A Crítica
07/11/2019 às 23:18

Em primeiro clássico Rio-Nal da história do Barezão Feminino, as Leoas do Naça venceram por 3 a 1 as meninas do Galo pela sexta rodada do Estadual, na noite desta quinta-feira(7), no estádio Ismael Benigno, a Colina. Como dado importante desse duelo, as duas equipes disputaram dois jogos valendo vaga na Copa do Brasil em 2007, classificando o Rio Negro.

Com o resultado, o Nacional tomou a quarta colocação do Barriga Preta, alcançando os sete pontos e deixando as adversárias pra trás da tabela com seis pontos. 



Voltando de suspensão, Karen duas vezes e Daiane anotaram os gols do Naça, enquanto Márcia fez a favor do Galo. “Foi um jogo muito pegado, consegui fazer dois gols voltando de supensão, e como todo clássico sempre é muito difícil", disse a camisa 10 do Naça, Karen. 

O próximo compromisso do Rio Negro será diante do Iranduba, válido pela quarta rodada, no CT do 3B no domingo (10). O Nacional tem pela frente o Tarumã no dia 14 desse mês. 

Festa no safari das Leoas do Naça

Na briga por vaga no G4 do Amazonense Feminino, ambas as equipes iniciaram o confronto bastante equilibrado, mas o Rio Negro ameçou primeiro aos 6 minutos na escapada de Vaneza pelo setor direito, finalizando rente à trave esquerda da meta azulina. Empurradas pela torcida na arquibancada da Colina, as guerreiras do Rio Negro seguiam pressionando, enquanto as Leoas do Naça mantinham a casinha fechada interceptando os ataques das adversárias.

Marcando 25 minutos no alto da Colina, o panorama do jogo inverteu dessa vez com pressão do Nacional, e na pequena área Daiane teve a chance sozinha, mas no arremate a bola explodiu na goleira Jack do Rio Negro. 

Sufocando as meninnas do Galo aos 35 minutos, as Leoas do Naça tiveram oportunidade com Maria Barroso, que aproveitou cruzamento subindo sozinha pra cabecear, mas a bola passou longe da meta alvinegra. 

Aos 43 minutos Karen abriu o placar para o Nacional em cobrança de pênalti. E após o baque, o Rio Negro pareceu perder o rumo da batalha e o Nacional tomou conta do jogo. 

Na volta do intervalo o Nacional se lançou ao ataque e no primero minuto, aproveitando cobrança de escanteio, Maria Barroso carimbou o travessão com meio voleio na pequena área. Aos 2 minutos, Maria Barroso em lance semelhante, mas dessa vez cabeceando de novo no travessão da meta rio negrina. 

Como o ditado do futebol é “quem não faz leva”, aos 7 minutos a estrela da artilheira do Galo, Márcia, sem ângulo, soltou um torpedo estufando as redes do Naça. 

No jogo lá e cá, aos 11 minutos no contra ataque das Leoas, Carol ganhou na corrida da defesa do Galo,mas faltou capricho na finalização e a bola foi mansa pras mãos da goleira Jack. Aos 24 minutos o Naça chegou com perigo na finalização a longa distância de Karen, que fez a bola explodir na trave.  

Com fortes emoções, aos 36 minutos, Daiane soltou a bomba a média distância e colocou o Nacional à frente do placar. 

No fim da partida, aos 50 minutos, a jogadora Dodo do Rio Negro foi retirada do campo de âmbulancia após dividida forte. Sem clima pra jogo, o juiz deu o apito final.

News 48367672 1136721996505445 2342939255929569280 n 2dad860c 0057 4e2e b7f5 f53181960f2f
Repórter do Craque
Jornalista formado na Ufam, campus de Parintins. Estudante de pós-graduação em jornalismo esportivo na Universidade Estácio de Sá. Repórter do Caderno de Esporte ‘Craque’ de A Crítica desde novembro de 2018.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.