Publicidade
Esportes
Trofeu Maria Lenk

Nadadores Leonardo de Deus e Larissa Oliveira batem recorde do continente

Larissa Oliveira bateu o recorde sul-americano dos 200m livre fortalecendo o revezamento 4x200m livre feminino para os Jogos Olímpico 18/04/2016 às 11:26 - Atualizado em 18/04/2016 às 21:09
Show 280667 594693 0i0a1099
Leonardo de Deus conseguiu chegar ao Top 5 e estará nas raias dos 200m metros borboleta (Foto: Satiro Sodre/CBDA)
ACRITICA.COM* Manaus (AM)

Neste domingo (17), a terceira etapa de finais no Troféu Maria Lenk foi mais curta, com apenas três provas, mas não menos intenso. Leonardo de Deus, do Corinthians, fez o quinto melhor tempo do mundo este ano nos 200m borboleta e Larissa Oliveira bateu o recorde sul-americano dos 200m livre fortalecendo o revezamento 4x200m livre feminino para os Jogos Olímpicos. A competição, que é válida como última seletiva para a seleção brasileira de natação, também é evento teste da modalidade e vai até quarta-feira, 20/04.

Leonardo de Deus e Kaio Márcio são os dois que ocuparão as raias pelo Brasil nos 200m borboleta. Leonardo havia conquistado lugar no Torneio Open. Na final do Maria Lenk ele fez a quinta melhor marca do mundo na temporada, 1m55s54, já entrando no primeiro pelotão da elite da prova que agora tem os japoneses Daya Seto (1m54s14) e Masato Sakai (1m54s21), o húngaro Lazlo Cseh (1m54s85) e o sul-africano Chad le Clos (1m55s04).

“Eu venho acompanhando os melhores do mundo. O Chad Le Clos acabou de fazer a seletiva dele pra 1m55s0, e ele nada pra 1m53s. Estamos na briga. Isto prova que estou no caminho certo. Até porque esta era uma competição em que não vinha 100%, após um Sul-Americano não tão bom. Por isso, descansei mais do que pretendia. Mas acabei melhorando meu índice olímpico aqui, e agora é descansar pois ainda tenho os 200m costas, na terça”, disse Leo de Deus.

Kaio entrou na lista nas eliminatórias deste domingo (1m56s40) e conseguiu melhorar à noite, com 1m56s21.

“Eu estava um pouco nervoso, mas consegui nadar bem melhor que de manhã. Cheguei bem perto de 1m55s e era o que eu queria fazer. Desde o ano passado eu não estava aguentando muito esta prova e já estou aguentando mais e agora é focar pra pegar uma final olímpica. Estou mais madura e mais confiante também. Saio daqui muito feliz. Na quarta-feira tenho ainda os 100m borboleta, que já tem dois atletas com índice, mas vamos ver o que dá pra fazer. Nas seletivas para os Jogos de Sydney eu fiquei a meio centésimo, ou seja, podia esta indo para a quinta Olimpíada. Agora ir para a quinta vai ficar meio difícil”, brincou Kaio, que já está com 31 anos, “ Mas fico feliz por estar entre os poucos atletas que foram a quatro Olimpíadas. A gente abre mão de uma vida para representar o país”, falou Kaio.

Larissa Oliveira, do Pinheiros, voou na piscina olímpica e derrubou o recorde sul-americano dos 200m livre, com 1m57s37. A marca substitui os 1m58s03 que Manuella Lyrio, também do Pinheiros, fez nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, em julho do ano passado. Larissa agora tem o primeiro tempo da prova individual para a Olimpíada. A segunda é Manuella, com o tempo que fez no Torneio Open, 1m58s43.

“ Não caiu a ficha ainda. Não estou acreditando. Amanhã quando for dormir eu vou entender o que está acontecendo comigo. A gente sempre vem pra cá com um objetivo muito grande. Meu técnico todo dia falava que estava me treinando para 1m57s, mas acreditar mesmo a gente só acredita quando faz “, disse.

As provas finais definiriam o time do revezamento 4x200m livre para os Jogos Olímpicos. Estão confirmadas Larissa Oliveira, Manuella Lyrio, Jessica Cavalheiro e Gabrielle Roncatto. As duas primeiras do Esporte Clube Pinheiros, a terceira do Minas Tênis Clube e a quarta da Unisanta.

Jessica e Gabrielle se emocionaram muito com a conquista. Jessica conseguiu diminuir seu tempo em todas as caídas na água nas duas seletivas. Na final da noite de domingo ela marcou 1m59s05.

“Eu treinei muito tempo pra chegar até aqui. Sonhei com isso desde criança. Esse revezamento com o 1m57s da Larissa deu um upgrade. Agora temos quatro nadadoras abaixo de 2m00s e isso é muito forte.Só deu confiança pra gente continuar treinando ainda mais forte pra pegar uma final, pra repetir o feito de 2004 das meninas e ser ainda melhor. A gente é uma equipe jovem. Cara... nós vamos pra Olimpíada! Preciso agradecer a todos, mas essa conquista vai pra duas pessoas. A primeira é o meu irmão, que está morando na China e só viria aqui pra me assistir, então eu tinha que pegar uma vaga, e pro meu psicólogo que faleceu em 2011. Ele dizia que nunca tinha treinado uma atleta que não fosse olímpica e eu era a exceção. Agora não sou mais”, desabafou Jéssica.

O revezamento 4x200m livre feminino dos Jogos Olímpicos de Atenas 2004 foi finalista e terminou em sétimo lugar. Gabrielle, que entrou na equipe neste domingo, durante as eliminatórias, marcou na final 1m59s22, baixando muito o tempo feito pela manhã, 2m00s06.

“Estou muito feliz. É o máximo que eu podia esperar. Treinei muito e todo mundo sabe o que cada um passa pra chegar ao seu objetivo”, conseguiu dizer Gabrielle antes de chorar de emoção.

*Com informações da assessoria de comunicação

Publicidade
Publicidade