Quarta-feira, 14 de Abril de 2021
ÍDOLO DO GAVIÃO

Lesionado, Hamilton mira retorno: 'Momento difícil vai passar'

Ídolo da torcida perdeu espaço na Série C, sentiu incômodo em atividade extra após derrota para a Jacuipense-BA e agora trata edema na coxa. Evolução tem sido boa, de acordo com médico do clube



WhatsApp_Image_2020-08-27_at_16.59.55_783A2941-8A23-4AD5-BF86-FE0203D93AC3.jpeg Foto: Divulgação/Manaus FC
27/08/2020 às 19:05

Fundamental na campanha que rendeu o acesso ao Manaus na Série D de 2019, Hamilton ainda não atuou na Série C do Brasileiro. Nos primeiros três desafios do Gavião na competição, o camisa 25 iniciou e terminou no banco de reservas. E não vai ser contra o Paysandu-PA, no sábado (29), na Arena da Amazônia, que o meia vai estrear no campeonato nacional.

Em Salvador (BA), após a derrota para a Jacuipense-BA no último sábado (22), Hamilton se lesionou e não tem previsão de retorno. O ídolo da torcida do Gavião do Norte agora trata o edema na coxa para estar à disposição do novo treinador Luizinho Lopes. “Todo jogador quer jogar e poder ajudar a equipe da melhor forma possível”, afirmou o amazonense à equipe do CRAQUE.



Com dois gols e uma assistência em 12 partidas na temporada de 2020, Hamilton perdeu espaço ainda quando Welington Fajardo era o treinador do Gavião do Norte, sendo reserva, por exemplo, no empate contra o Vila Nova-GO em 1 a 1, na estreia da Série C. Na sequência, nas primeiras duas partidas de Luizinho Lopes no comando do time esmeraldino - contra Botafogo-PB e Jacuipense-BA -, o meia continuou com o ‘status’ de reserva.

Último gol de Hamilton foi marcado contra o Iranduba, no Barezão 2020. Foto: Arquivo AC

Para o jogador, a resposta para a retomada do espaço deve ser dada em campo. “Ninguém gosta de ser reserva, mas é uma opção do treinador e tenho que respeitar. Tenho que continuar trabalhando para, quando tiver a oportunidade, saber aproveitar da melhor forma possível”, declarou Hamilton, que tem evoluído bem na recuperação do edema na coxa segundo o Dr. Lucas Mitoso, vice-presidente do departamento médico do Manaus.

Ausência da torcida

Após dois empates e uma derrota na Série C, o Manaus ainda busca sua primeira vitória na competição e a ideia e consegui-la contra o Paysandu, dentro de casa, no sábado. Mais uma vez, por medidas de prevenção à propagação do novo coronavírus (Covid-19), as arquibancadas da Arena estarão vazias. Ídolo da torcida do Gavião do Norte - com direito a bandeirão e tudo -, Hamilton acredita que o apoio faz falta.

“É um jogador a mais para o Manaus. A torcida faz toda a diferença”, avaliou o meia, que espera que o clube volte ao caminho das vitórias e à boa fase. “Momento delicado, mas se Deus quiser a primeira vitória vai vir e esse momento difícil vai passar”, completou Hamilton.

News leonardo 9028af08 26fb 4271 b322 4409cded8370
Repórter do Craque
Jornalista em formação na Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e repórter do caderno de esportes Craque, de A Crítica. Manauara fã da informação e que procura aproximar o leitor de histórias – do futebol ao badminton.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.