Publicidade
Esportes
Craque

Lição de vida: veterano atleta vence alcoolismo e depressão por meio do esporte

Pedro Panilha superou os males do álcool depois que começou a praticar corrida. Depois de participar de diversas corridas e dez maratonas, o experiente competidor está treinando para disputar o triatlo 18/09/2015 às 13:13
Show 1
Pedro Panilha treina firme para mais um desafio: disputar o triatlo.
Denir Simplício Manaus (AM)

Pedro Antônio Panilha de Andrade. O nome do veterano atleta de 66 anos por sí só poderia servir de sinônimo para as palavas determinação, superação, experiência, companheirismo, entre outros. Mas a palavra vitória lhe cai tão bem quantos as outras.

Seu Pedro, como é carinhosamente chamado pelos amigos, é um vencedor e a prova viva de que não há limites quando o ser humano deseja vencer seu maior oponente: a si próprio.

Aos 30 anos, mergulhado no alcoolismo, seu Pedro chegou a pesar quase 120kg e caiu em profunda crise de depressão. “Antes eu só pensava em beber, em estar na farra. Não ligava para a família. Um dia, um amigo que é médico me disse: ‘Ei, tú és alcoólatra’. Eu não quis acreditar, mas realmente eu estava entregue ao álcool. A depressão faz parte do tempo do álcool. Foi a herança que ficou e que não tem como se livrar dela, pois eu bebia demais”, relata o experiente corredor, explicando não ter constrangimento algum em falar do assunto.

“Não tenho vergonha nenhuma de falar disso. Muito pelo contrário. Falo disso pros mais jovens para que não cometam o mesmo erro que eu”, disse.

Recomeço

Pedro Panilha começou a vencer os males do álcool quando começou na prática das corridas. Foi quando a vida lhe deu outra chance. “Percebi que o esporte havia mudado  minha vida quando eu estava com 35 anos. Comecei a correr e não tive mais vontade de beber. Comecei a ter metas a cumprir e desafios a superar”, pontuou o corredor.

Além do álcool e da depressão, Seu Pedro ainda superou um laudo médico que o impedia de correr. “Tive artrose nos dois joelhos. Meu médico me disse que eu não poderia mais correr. Mas com fé e determinação eu continuei e estou aqui”, lembra sorridente o imparável atleta.

“Hoje, eu sou uma pessoa que luta, que corre, que nada e que faz triatlo. E tem mais coisas que pretendo fazer antes de sair desse plano de vida”, pontuou seu Pedro, avisando que ainda este ano vai participar de mais algumas maratonas. Entre elas a 1ª Maratona do Amazonas, em novembro e da ultramaratona Desafio de Revezamento 274km até Itacoatiara, no próximo mês.

Novos desafios

Pensa que seu Pedro está contente em ser o “fera”  nas corridas na categoria dele? Que nada! Obstinado, o atleta está se preparando para um “voo” ainda mais alto: triatlo.

“Acordo às 4h e vou pra Vila Olímpica correr por duas horas. Depois nado e façomusculação”, comenta seuPedro, revelando que começou a lutar para aprimorar ainda mais a parte física. “Agora estou até lutando MMA, tudo pra ficar em forma”, brinca o atleta, que faz parte de um projeto da academia Top Life Pro, que beneficia atletas da terceira idade.

Experiente nas corridas, seu Pedro sempre foi apaixonado pelo triatlo e quer competir na modalidade ainda este ano. “Tenho muitos amigos que fazem triatlo. Estou treinando firme pra superar mais esse desafio”, disse o corredor, que é treinado pelo renomado professor Sérgio Nazareno.

“Ele é como um pai pra mim e quando eu vejo ele treinando pra fazer triatlo, eu imagino: se ele pode, por que eu não posso também?”, relata o parceiro de treinamentos  José Ramos, 44.

As amigas Amanda Benzion e Tatiane Medina também não poupam elogios ao orientador. “Ele diz quando é pra desacelerar ou quando forçar na corrida. Tá sempre do lado, auxiliando e dando apoio”, comentam.

“Tenho um grande objetivo a cumprir: fazer uma grande prova de triatlo”, revela seu Pedro. Duvida? então espera pra ver.


Publicidade
Publicidade