Publicidade
Esportes
Local definido

Liminar cai e Vasco e Flamengo jogarão semifinal no estádio Raulino de Oliveira

Com a queda provisória da liminar, as duas torcidas acompanharão, dentro do Rio de Janeiro, o clássico entre Flamengo e Vasco 22/02/2017 às 17:19
Show raulno de oliveira
Diferente do que se esperava, o jogo não será no NIilton Santos, mas no Raulino de Oliveira (Foto: Reprodução)
acritica.com Manaus (AM)

Flamengo e Vasco finalmente conseguiram derrubar a liminar de clássicos com torcida única no Rio de Janeiro e irão jogar a semifinal da Taça Guanabara no sábado (25) às 17h (de Manaus) no estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda. O acordo foi feito na tarde desta quarta-feira (22) no Fórum Central do Rio de Janeiro. No mesmo dia, Fluminense e Madureira jogam às 15h30 no estádios Los Larios, em Xarém.

A audiência contou com a presenta do juiz Guilherme Schiling, autor da liminar que proibia torcida divida nos clássicos, e representantes dos times e da Polícia. Porém a suspensão vale apenas para a semifinal, para a final, o caso deve ser estudado novamente.

Mesmo atendendo o pedido dos clubes, a solução não foi, de todo, vista com bons olhos. O presidente do Vasco, Eurico Miranda, criticou a Polícia Militar, que não garantiu a segurança no dia da partida.

"O que conseguimos tirar disso aí foi a falência da segurança pública. Foi a Polícia Militar dizer que não garante ter um jogo, não é só Vasco e Flamengo, mas Fluminense e Madureira se fosse realizado no Nilton Santos. A única coisa que posso comentar é que a situação que a gente passa no estádio é a mesma que tenho que andar, não posso ter relógio, nada, porque segurança não existe. A Polícia não dá segurança. Se chegasse e desse, estava tudo certo".

Eduardo Bandeira de Melo, presidente do Flamengo, destacou que a responsabilidade pela segurança é a Polícia Militar, mas afirmou que o clube irá colaborar.

"A responsabilidade é sempre das autoridades policiais, não dos clubes. O Flamengo vai fazer de tudo para colaborar com eles. Os clubes não são responsáveis por segurança, mas as autoridades estiveram aqui presentes e garantiram", disse.

 

Publicidade
Publicidade