Domingo, 19 de Janeiro de 2020
Craque

Londres 2012: Ex-velocista revela todo o seu amor pelo voo livre

O CRAQUE acompanhou Robson Caetano na subida dos 520 metros da Pedra Bonita, em São Conrado, no Rio de Janeiro



1.gif Depois de conquistar medalhas em duas Olímpiadas, Robson Caetano aproveita para curtir a natureza
30/05/2012 às 09:48

Dois bronzes Olímpicos, dois ouros Pan-americanos, um na universíada (Olimpíada universitária), três conquistas em Copas do Mundo, 23 títulos brasileiros e um recorde sul-americano que já dura 24 anos... Robson Caetano fez história durante sua carreira no atletismo, “voando baixo” nas provas de 100 e 200 metros rasos para conseguir todas as conquistas citadas aí em cima. E mesmo após encerrar a carreira, o ex-atleta continua “decolando”. Apesar de agora, adotar uma velocidade bem “menor” e não ter onde pisar. Não entendeu?

 Então o CRAQUE explica. Nossa equipe acompanhou Robson na subida dos 520 metros da Pedra Bonita, em São Conrado, no Rio de Janeiro. Lá ele mostrou sua habilidade “secreta”: o voo de asa delta.



“Isso aqui era um sonho de menino. Todo mundo sonha em voar. Já fui tão viciado que chegava a saltar oito vezes por semana”, revela Robson, que voa desde 1991. O comentarista de atletismo da Rede Record possui seu próprio equipamento (que pesa 40kg) e tem todo cuidado para montá-lo. De sua casa, no Recreio dos Bandeirantes, Robson monitora as condições de voo. O ex-velocista garante que a sensação de um passeio de asa delta sobre a capital carioca é semelhante a de uma conquista de medalha.

“Isso aqui é paradisíaco, cara. Tem vezes que passo mais de duas horas aqui, relaxando. É algo diferente e único, assim como uma medalha. Não tem como descrever. Só quem voa sabe. É inenarrável”, afirma.

Robson Caetano medalhista olímpico e comentarista da Record

1 Como você avalia os velocistas brasileiros nos Jogos de Londres?
Eu acredito muito no Bruno Lins. Ele é um ótimo atleta. Se ele vai fazer a diferença é outra história. Ainda depende muito dele pra fazer boas marcas, mas, ele tá no caminho certo.

2 O revezamento 4x100 vem conseguindo bons resultados. Dá pra sonhar com medalha?
 
Estou empolgado. O time é bom, mas a euforia precisa ser contida. Eles precisam evitar jogar para cima deles a cobrança desnecessária.

3 Alguém vai ‘parar’ o fenômeno Usain Bolt?
Só quem pode ganhar dele é o Tyson Gay (EUA). De resto, não tem pra ninguém. O moleque é muito bom e se comporta como campeão.


Perfil - Robson Caetano da Silva

Idade: 47 anos

Naturalidade: Rio de Janeiro-RJ

Altura: 1,85

Peso: 82 kg

Modalidade: atletismo

Títulos: Dois bronzes olímpicos (200 m rasos em Seul 88 e revezamente 4x100 em Atlanta 96). Ouro na Universíada 89 (200m rasos). Dois ouros Pan-americanos em Havana 91 (100 e 200m).







Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.