Segunda-feira, 22 de Julho de 2019
Culinária casca grossa

Lutador de MMA faz bolo de pote e vende doces em eventos de luta em Manaus

Caio César, o ‘Parangolé’, resolveu investir em um ramo bem diferente para conseguir uma renda extra e pagar suas contas



IMG0017414414.JPG Os bolos de pote do Parangolé custam R$ 5 e viraram uma ‘febre’ entre lutadores e torcedores. Foto: Evandro Seixas
07/12/2016 às 16:57

Quem diria que um “grandalhão” que é acostumado a entrar no octógono para duelar com outros lutadores entre chutes, pontapés e socos, poderia também fazer bonito na cozinha? Caio César Araújo Barbosa, 25, ou “Parangolé” como é mais conhecido, prova que é possível sim, ser bruto na hora da luta, delicado na hora de montar bolos de pote e carismático na hora de vender os produtos que são a renda dele.

A ideia surgiu da namorada do lutador, Claudia Cordeiro, para driblar os “aperreios” financeiros. “Viver só da luta é muito difícil, principalmente porque não tenho patrocinadores e a minha despesa com suplementos e alimentação é muito grande. Daí, minha namorada teve a ideia de fazer os bolos de pote. Ela faz os bolos e eu monto com as coberturas, lavo as louças e vendo”, descreveu Caio. Os eventos de luta em que ele não participa são os locais onde o carismático casca grossa mais lucra com a venda de seus quitutes. Nos bastidores das competições, Caio já é figurinha mais que conhecida tanto pelos lutadores - que sempre se deliciam com os doces após as batalhas no octógono -  como pelo público que prestigia os eventos. “Já tenho até os clientes cativos, que sempre compram meus bolos. Sempre que sei de um evento, me organizo para participar com meu empreendimento”, ressaltou o atleta.

Ainda segundo Caio, quando ele chega nas competições já é chamado de “o lutador dos bolos”, o que segundo ele é uma prova de que está no caminho certo. Contudo, a vida dele não é só feita de doces. “Minha rotina é bem intensa. Todos os dias treino das 9h às 10h. Descanso no início da tarde e depois continuo com treino pesado de cross fit. À noite faço muay thai e finalizo com luta livre”, pontuou. Com todo este gás, quando não está vendendo bolo nos campeonatos, Caio está competindo. Somente em 2016, ele já participou de três competições das MMA, além das de luta livre e muay thai, que é a especialidade do rapaz.

Caio é natural do Pará e chegou a Manaus há cinco anos em busca de uma oportunidade emprego. Trabalhou durante três anos como pedreiro e chegou a se formar no curso técnico de Segurança do Trabalho. Desde que pisou no chão manauara, o rapaz começou a treinar muay thai, migrando para o MMA este ano.

A renda dos bolos ainda ajuda Caio a pagar o aluguel da casa onde mora, além de sua alimentação e equipamentos de luta. “Já cheguei a não ter nem o que comer aqui em Manaus. Porém, nunca desisti do meu objetivo que é ser um grande lutador. Não tenho nenhum patrocínio e vi nesse negócio a oportunidade de me sustentar”, destacou Caio, que luta na meio médio (até 84 kg). Caio já faz planos para participar do Campeonato Amazonense de Luta Livre, que acontece no próximo dia 18 de dezembro, na Arena Amadeu Teixeira.

Quem quiser fazer encomendas dos bolos ou até patrocinar o lutador pode entrar em contato diretamente com ele pelo número 98103-9519. Eles custam apenas R$ 5 e são deliciosos!

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.