Publicidade
Esportes
Craque

Lutador destaque do judô amazonense em 2014, fala sobre os desafios para a nova temporada

Francisco Perseu, de 16 anos, lutador da academia Acopajam travou uma verdadeira batalha para se sagrar campeão dos Jogos Escolares da Juventude, em João Pessoa e, pelo feito, foi agraciado no mês passado com o Prêmio Brasil Olímpico 02/01/2015 às 17:52
Show 1
Francisco Perseu, 16 anos, atleta da academia Acopajam, foi um dos grandes destaques do judô amazonense em 2014
Denir Simplício Manaus (AM)

O nome de uma das grandes revelações do judô amazonense de 2014 parece ter sido escolhido por meio de um presságio. O judoca Francisco Perseu, 16, recebeu esse nome depois que a mãe do atleta, dona Heloisa, assistiu à primeira versão do filme “Fúria de Titãs”. Nem imagina ela que o filho se transformaria num verdadeiro “titã dos tatames”.

O jovem lutador da academia Acopajam travou uma verdadeira batalha para se sagrar campeão dos Jogos Escolares da Juventude, em João Pessoa e, pelo feito, foi agraciado no mês passado com o Prêmio Brasil Olímpico.

Ao contrário do herói grego, o Perseu manauara não precisou arrancar a cabeça da temida Medusa para conquistar o primeiro lugar no pódio na capital paraibana. No entanto, teve de “guerrear” no tatame contra o tricampeão sul-americano, Matheus Rocha, no que os especialistas taxaram de uma “luta heróica” por parte da revelação do judô baré. Com a vitória veio o reconhecimento e a possibilidade de representar o Estado em uma competição internacional já no início deste ano.

Duelo de Titãs

Perseu sequer tinha conhecimento do histórico de seu oponente na luta pela medalha de ouro nos Jogos Escolares. Mesmo assim o judoca amazonense foi superior no combate e aplicou um Sasae Tsuri Komi Ashi pra cima do paulista que foi ao chão. Em seguida, o gigante amazonense, que tem como maior arma o Uchi-mata, caiu sobre o adversário e finalizou o golpe.

O pupilo do treinador Gláucio Mendonça já havia conquistado o ouro nos Jogos Escolares do Amazonas nas edições de 2012, 2013 e 2014, mas faltava um título nacional para premiar os esforços do judoca. Perseu credita tanto sua vitória no JEJs, na Paraíba, como a melhora na qualidade de seu judô, aos ensinamentos do sensei.

“Conheci o professor Gláucio nos Jogos Escolares de Poços de Caldas, em Minas Gerais, em 2012. Achei ele uma ótima pessoa e resolvi conhecer a Acopajam. Depois que entrei aqui (academia) meu judô só melhorou”, explicou o judoca.

E imaginar que Perseu quase abandonou os tatames por falta de local para treinamentos... O lutador fez parte da delegação amazonense em 2012 sem ter onde treinar, depois que o fim de um projeto social o deixou sem academia. Antes de se achar no judô, o campeão enveredou por outros esportes de luta. O judoca de 1,79m de altura, que pesa 139 quilos, treinou jiu-jitsu, capoeira e luta livre.

“Treinei um tempo jiu-jitsu na escola, mas não era a minha área. Passei também pela luta livre e capoeira. Mas foi no judô que me encontrei na luta”, disse Perseu, admitindo que até hoje pratica capoeira no Grupo Nagô para ganhar agilidade.

A preparação de Perseu para as competições de 2015 começa nesta segunda e o judoca aproveitou para mandar um recado aos garotos que assim como ele pretendem vencer no esporte.

“O importante é o garoto fazer o que gosta. Praticar o esporte que se sinta bem. Perdi amigos para as drogas. Quando encontro com alguns deles, eu tento dar um conselho. Mas não vou forçar ninguém a deixar de fazer o que quer. Porque se você tenta fazer isso à força hoje, amanhã ele volta pro mesmo caminho errado. Os pais têm de estar junto sempre para apoiar e aconselhar”, comentou Perseu sendo observado pela orgulhosa mãe, dona Heloísa, que já estava de olhos marejados de emoção durante a reportagem.


Perseu e o treinador Gláucio Mendonça na academia Acopajam

Novos desafios este ano

No início de dezembro passado Perseu deixou de participar da Seletiva Nacional das categorias de base por conta da falta de patrocínio. Porém o treinador Gláucio Mendonça solicitou, junto à Confederação Brasileira de Judô (CBJ), uma convocação para que o judoca possa ser testado internacionalmente.

“Nós fizemos um e-mail solicitando ao presidente da confederação uma convocação para uma competição internacional. A CBJ deve enviá-la e nós já estamos adiantando os treinos e fazendo o planejamento em cima dessa primeira competição”, revelou o treinador.

Perseu é aluno da Escola Estadual Professor Antenor Sarmento, no Centro, e coloca em primeiro plano os estudos. O judoca pretende concluir o ensino fundamental em 2015 e não se apoiar apenas no futuro nos tatames. “Primeiramente eu quero terminar meus estudos, depois focar no judô. Caso o judô venha a ‘quebrar’ eu tenho meus estudos pra me apoiar”, afirmou o atleta.

Publicidade
Publicidade