Domingo, 29 de Março de 2020
SANGUE BARÉ

Lutadora do AM é a mais nova contratada para o WWE nos Estados Unidos

Ritinha, de 26 anos, vai interpretar uma indígena guerreira no World Wrestling Enterntainment. Sucesso de público nos EUA, o evento terá pela primeira vez uma representante tipicamente amazonense



ritinha_1_EB0D9C47-FD9A-4A89-AF6C-7EB6B792C5C7.JPG Foto: Divulgação
23/08/2019 às 18:52

Ela é fera no judô, com diversos títulos conquistados. É casca-grossa na arte suave, com várias medalhas no peito e também uma wrestling de primeira, com conquistas e vitórias na luta olímpica. Agora ela se prepara para uma nova fase na carreira, e na sua vida, e para isso ela vai precisar atuar. 

Não! Ela não será atriz, mas saber representar uma personagem é fundamental no WWE (World Wrestling Entertainment), em que as lutas são coreografadas e o resultado combinado. Um sucesso de público nos Estados Unidos e que terá pela primeira vez uma representante tipicamente amazonense.



Rita de Cássia Reis, ou “Ritinha”, 26, como é conhecida, tem características bem caboclas, é bonita, cabelos lisos e escuros, fala doce e meiga, com jeito de cunhã-poranga e que pretende levar para o ring o poder da mulher guerreira do Amazonas.

O destino de Ritinha começou a mudar graças ao poder que as redes sociais exercem na vida das pessoas e, lógico, ao grande talento dessa amazonense. O WWE andou sondando as redes sociais dela e gostou do que viu. Das medalhas conquistadas, dos pódios alcançados.

“Eles pediram para eu mandar meu currículo. Fiquei surpresa porque depois de seis meses disseram que fui aprovada para o tryouts Chile (em Santiago), com tudo pago pela WWE.  Fui pro Chile, fiz a prova e passei para a segunda fase, agora em Orlando (EUA) para fazer exames e outros testes”, comentou a lutadora, ao ressaltar que realizou muitos testes físicos, rolamentos, treinamento de ring e também falar em público, que é um critério primordial para um lutador do WWE. Não basta só lutar, tem que interpretar um personagem.


Além de lutar, Ritinha terá que interpretar um personagem, no caso dela, uma índia guerreira da Amazônia. Foto: Divulgação

Preparação internacional

Ritinha passou quatro dias no Chile e esperou de dois a quatro meses pra sair o resultado que ela tanto esperava. Já em Orlando foi mais rápido, apenas dois dias para ela receber o resultado que havia passado. Nos testes realizados, incluindo a parte de encenação, Ritinha se caracterizou de índia, para representar a cultura amazonense e é assim, como uma verdadeira guerreira indígena que ela gostaria se encarnar seu personagem, mas tudo vai depender da aprovação do WWE.

Ainda não há uma data certa para ela estrear no ring do WWE, onde lutadores e artistas como o The Rock e Ronda Rousey são ídolos, mas os treinos iniciaram há mais de uma semana  e devem durar em torno de quatro meses até ela pisar no ring para o público norte-americano e todo o mundo pelo canal de TV a cabo Fox Estados Unidos, que vai passar a transmitir semanalmente os shows. 

Até lá tem muito chão pela frente, que vão além dos treinos pesados, como ter domínio da língua inglesa, aprender a encenar, trabalhar as expressões e outras coisas que ela não estava acostumada a fazer nos tatames, como correr no ring. 

WWE

O World Wrestling Entertainment, ou apenas WWE, é uma empresa norte-americana que organiza lutas profissionais com o objetivo de entreter as pessoas e os telespectadores, uma vez que leva multidões de pessoas para a frente da TV e presencial também. Além do público dos Estados Unidos, os combates são exibidos para mais de 36 milhões de pessoas em 150 países.

As lutas são coreografadas e ensaiadas, por isso há a necessidade de muito treino. 

Muitos lutadores renomados internacionalmente, seja no ring, octógono ou nos cinemas tiveram outros até vivem momentos gloriosos no WWE, como as lendas Hulk Hogan, Triple H, Savage, o ator e lutador The Rock e a ex-lutadora do UFC Ronda Rousey.

Oportunidade única

Ritinha vê no WWE uma grande oportunidade para mudar de vida, mas ela sabe que o caminho é longo, entretanto, ela está focada no objetivo, que é chegar às classes de seus admiradores, como a Ronda Rousey.

“Essa oportunidade é única de mudar a minha história. De tudo que já passei, essa chance vou agarrar com todas as minhas forças. Porque pode mudar a minha vida, a vida da minha família, então vou de meu 100%  e me voltar pro Pro Wrestling.

Infelizmente, no momento não vou treinar judô e nem jiu-jitsu”, disse.

“Estou em uma das maiores empresas que pode me dar a melhor estrutura do mundo para treinar, os melhores técnicos, o salário excelente para eu ter uma boa vida. Sou a única amazonense contratada pro WWE, isso pra mim é uma honra, representar a minha cultura, meu povo e o Amazonas”, finalizou a lutadora.

Texto: Johnny Lima

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.