Publicidade
Esportes
UFC

Lutadoras amazonenses participarão de reality de lutas do UFC em agosto

Duas lutadoras amazonenses participarão do reality do UFC, o Contender Brasill. Uma vitória pode ser a porta de entrada para a franquia de MMA mais famosa do mundo 30/04/2018 às 19:11
Show show zcr0301 02r as duas
(Foto: Winnetou Almeida)
Camila Leonel Manaus (AM)

A peso-galo (até 61kg) Mayana Kellem e a peso-mosca (até 57kg) Estefany Almeida são as duas atletas amazonenses que  participarão do Contender Series Brasil, um reality show em Las Vegas (EUA) que dá contratos para lutadores ingressarem no UFC. As gravações acontecerão nos dias 8, 9, 10 e 11 de agosto e a preparação das atletas já começou para a luta. O programa deve ser exibido no mês de setembro.

Estefany enfrentará a catarinense Taila Santos, que tem um cartel de 14 vitórias em 14 lutas. No caso de Estefany, que tem sete lutas no MMA, a única derrota foi para a conterrânea Ketlen Vieira, quarta no ranking da categoria no UFC, em fevereiro de 2016. De lá para cá, Estefany fez quatro lutas e venceu três por nocautes e uma por finalização.

“A minha expectativa por essa participação no Contender é grande. Eu estou  com grande expectativa e treinando bastante para ir com tudo. Quero esse contrato em Manaus e estou treinando para não deixar brecha, ir lá e dar o meu melhor”, disse a atleta que vê a oportunidade como “o sonho de todo lutador de MMA”.

As invictas
Mayana realizará o duelo de invictas contra Mayra Bueno. A amazonense possui sete vitórias e é detentora dos cinturões do Rei da Selva e Mr.Cage, já a mineira possui quatro vitórias e é dona do cinturão dos galos do Batalha MMA .

Mayana nunca lutou fora do Amazonas e busca dar um salto e tanto na carreira, que dura cinco anos.

“Todo lutador que começa no MMA quer chegar no topo e o UFC é o maior palco de lutas mistas do mundo. Tô treinando forte e quero levar o nome do Amazonas com o meu desempenho, dedicação e que muita gente possa se espelhar na gente e mostrar que é possível”.
Inícios parecidos

Além de nascerem na mesma terra e partilharem da mesma paixão pelo MMA, tanto Estefany quando Mayana entraram no mundo das lutas por motivos parecidos. Ambas queriam emagrecer e na busca pelo corpo ideal, acabaram descobrindo o esporte de alto rendimento.

“Eu comecei na luta para emagrecer e adquirir mais saúde. Aí fui vista lutando e convidada a participar de treinos com a equipe profissional. Daí para frente virou algo sério e foi só treino”, conta a peso-galo.

Para Estefany, as lutas estavam presentes no dia a dia dela desde os 14 anos quando ela treinava jiu-jitsu, mas parou por conta da maternidade. O resultado de anos parada foi a obesidade. “Migrei para o MMA por estar obesa. Era para emagrecer, mas tive uma oportunidade dentro do MMA que eu não sabia que existia, que eu tinha essa capacidade. Os treinos eram intensos e comecei a perder peso. Aí pedi para marcar uma luta por curiosidade e na minha primeira luta eu soube que eu podia ir mais além e continuo ate hoje. Estou no MMA há dois anos e meio. Treinei um ano e meio para perder o medo e hoje para mim é algo normal. Eu gosto muito”, relembrou.

Publicidade
Publicidade