Publicidade
Esportes
Craque

Macaé cala Mangueirão lotado e se sagra campeão da Série C em cima do Paysandu

Time do Rio de janeiro lutou bravamente e arrancou o empate que lhe deu o título inédito. Diante de 38 mil torcedores paraenses, o Bicolor amargou o seu terceito vice-campeonato na temporada 23/11/2014 às 09:13
Show 1
Macaé arranca empate heroico contra o Paysandu, em Belém, e é campeão da Série c de 2014.
ACRITICA.COM Manaus (AM)

Foi uma partida digna de uma final. Mesmo sem um vencedor, a grande decisão do Campeonato Brasileiro da Série C 2014, foi de arrepiar. O empate em 3 a 3 entre o Paysandu e o Macaé, na tarde deste sábado (22), no estádio Magueirão, em Belém, deu o título ao time fluminense e impôs uma cruel sina aos torcedores do Bicolor paraense: o terceiro vice seguido.Antes da final contra o clube do Rio de Janeiro, o Papão já havia amargado o segundo lugar no Estadual e na Copa Verde deste ano.

Como toda grande final, o jogo deste sábado foi repleto de emoções. A começar pelo retardo do início da partida em 30 minutos por conta do atraso do Macaé, que ficou preso no trânsito de Belém. Enquanto o duelo não começava, os 38 mil torcedores do Papão já faziam a festa antecipada nas arquibancadas do Mangueirão, só não contavam com a garra do Alvianil (apelido do time do Macaé).


Assim que o jogo começou o Paysandu partiu pra cima do clube do norte fluminense. E aos 16 minutos, usado a cabeça, o volante Zé Antonio colocou o Bicolor na frente do placar. Mas o delírio dos torcedores paraenses durou até os 43 minutos, quando João Carlos usou do mesmo veneno e cabeceou para empatar a partida e calar pela primeira vez a torcida do time da casa: 1 a1.

O final da primeira etapa dava sinais de como terminaria o confronto, mas o segundo tempo guardava muitas emoções. Logo aos 7 minutos da etapa final, Ruan colocou novamente o Paysandu na frente do marcador ao vencer o bom goleiro Milton Raphael, 2 a1. A vantagem do Papão durou apenas 6 minutos, mais uma vez João Carlos igualou o placar e calou o estádio de Belém, após esticar a perna e empurrar a bola pras redes do Bicolor: 2 a 2.

Sendo empurrado pela imensa e fanática torcida bicolor no Mangueirão, o Paysandu não desistiu e voltou ao ataque. Foi quando aos 22 minutos, o xodó dos torcedores do Papão, Yago Pikachu, roubou a bola, invadiu a área e rolou para Rômulo, de letra, marcar o terceiro gol do time paraense. A massa nas arquibancadas do estádio Olímpico do Pará foi a loucura e começava a soltar o grito de "É campeão!".

Porém, aos 30 minutos veio o golpe de misericórdia no Paysandu: Diego marcou o gol do novo e definitivo empate. Após tabela com João Carlos, Diego chutou rasteiro e a bola caprichosamente passou por entre as pernas do goleiro Paulo Rafael. Depois disso o Papão até tentou, mas não teve mais forças para vencer o jogo. Aos 40, o mesmo Diego ainda colocaria uma bola no travessão do Bicolor e por pouco não saiu com a vitória.


Como empatou o jogo de ida em 1 a 1, no Rio de Janeiro, o Paysandu sairia campeão se empatasse em 0 a 0 ou conseguisse a vitória. A regra dos gols marcados fora de casa deu o primeiro título nacional ao Macaé, que já havia sido eliminado da Terceirona pelo mesmo Papão em 2012.Com o resulatdo, o Paysandu amargou seu terceiro vice-campeonato no ano. O Bicolor já havia perdido também as finais do Campeonato Paraense, para o arquirrival Remo, também com um empate; e da Copa Verde, para o Brasília, desta vez no pênaltis.

Fiha técnica

Paysandu 3x3 Macaé

Gols Zé Antonio (16/1t), Ruan (7/2t) e Rômulo (22/2t), para o Paysandu; e João Carlos (2x - 43/1t e 13/2t) e Diego (30/2t).

Brasileiro da Série C

Final - jogo da volta

Local: Estádio Mangueirão, Belém-PA

Data e horário: 22/11/14, às 17h (de Brasília)

Árbitro: Manoel Nunes Lopo Garrido-BAAssistentes: Luiz Carlos Silva Teixeira-BA e Lincoln Ribeiro Taques-MT

Paysandu

Paulo Rafael; Fernando Lombardi, Reniê (Jeferson Maranhense) e Ricardo Capanema (Djalma); Yago Pikachu, Augusto Recife, Lenine (Rômulo), Zé Antônio e Airton; Ruan e Bruno Veiga. Técnico: Mazola Junior.

Macaé

Milton Raphael; Dos Santos, Douglas Assis, Filipe Machado e Diego; Lucas, Gedeil, Tiago Pedra (Bruno Santos) e Marquinho (Leandro Cardoso); Juba e João Carlos (Laerte). Técnico: Josué Teixeira.

Publicidade
Publicidade