Quinta-feira, 27 de Junho de 2019
DECISÃO

Com vantagem, Manaus encara Fast na decisão do Barezão em busca do tri

Enquanto o Gavião quer repetir o feito do São Raimundo na década retrasada, Rolo Compressor sonha em reverter placar para conquistar o título estadual



zCR0227-01F_A2CE6B90-F3A4-4BFC-AFA7-ABC8200426E2.JPG Roberto Dinamite, capitão do Fast, e Derlan, do Manaus, disputam quem vai erguer a taça neste sábado (27). Foto: Márcio Silva
27/04/2019 às 07:00

Exatos 70 dias após a partida que abriu a disputa do Campeonato Amazonense, o Estadual de 2019 chega ao fim. Neste sábado (27), Manaus e Fast entram em campo no estádio Ismael Benigno, a Colina, às 15h, e decidem o título do Barezão.

Em busca de um histórico tricampeonato amazonense, o Gavião do Norte entra em campo com uma grande vantagem: o time pode perder até por dois gols de diferença e ainda assim levanta o troféu de campeão.O que parece ser facilidade, precisa de concentração para se tornar realidade. Para isso, a estratégia já está bem definida.

“A estratégia é evitar aquelas bolas paradas que o Fast gosta de jogar na área para seus jogadores que são bons no cabeceio. Então temos que evitar essas faltas pelo lado, para que a gente possa não correr riscos no decorrer da partida. Mas é manter o foco, os pés no chão, que a gente vai conseguir o nosso objetivo que é ser tricampeão”, analisou o capitão do Manaus FC, Derlan.

Para uma equipe que precisa atacar, é fácil pensar que o time vai apostar tudo em campo. Mas de acordo com o capitão do Rolo Compressor, Roberto Dinamite, um dos principais caminhos para conseguir reverter o placar é a tranquilidade.

“A melhor forma de reverter o placar é ter tranquilidade dentro da entrega que vamos ter dentro dos 90 minutos. Não podemos jogar de qualquer forma. É um passo de cada vez, com sabedoria e inteligência, dentro daquilo que foi pedido e trabalhado pelo professor Vladimir (de Jesus, técnico do Fast)”, analisou o volante.

A final promete ser histórica. Se o Manaus confirmar a vantagem, se iguala ao Nacional como maior campeão do Amazonas nesta década, com três títulos. Além disso, alcança o feito do São Raimundo, entre 1997 e 1999, último time a acumular três conquistas de forma consecutiva. Além de tudo, o time busca coroar uma temporada de alto nível.

“A gente conquistou calendário para 2020, mas ainda quer o título deste ano para ser tricampeão. Até porque, no começo, nós chegamos aqui com três objetivos: o primeiro era chegar o mais longe possível na Copa do Brasil, o segundo era ser tricampeão e conseguir calendário para 2020 e o terceiro é conseguir botar o Manaus na Série C. Então, essa busca por esse título está muito grande, todos os jogadores estão focados para que a gente possa ser tricampeão amazonense”, completou Derlan.

Se a conquista do Manaus pode ser histórica, o mesmo pode ser dito sobre uma eventual virada do Fast. O time pretende acabar com o favoritismo e vantagem rival para uma conquista ainda mais saborosa. “Esse título representaria muita coisa. Estamos falando de um título que vai coroar todo um trabalho de muita luta, porque fazer futebol dentro do nosso Estado não é fácil. Então vai ser um momento histórico para o clube e para nós jogadores por ter conseguido reverter um placar que para muitos é dado como irreversível”, completou um confiante Dinamite.

Receba Novidades

* campo obrigatório
News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.