Segunda-feira, 25 de Janeiro de 2021
Manaus FC

Manaus precisará superar o 'tabu' de não vencer fora de casa para sonhar com classificação

O técnico Luizinho Lopes falou sobre erros pontuais e o trabalho que a equipe e comissão técnica estão realizando para supera-los e conseguir a vaga na próxima fase



7123f44e-70fc-44e0-9233-21f0e4bab41d_1499F299-9338-470D-B680-1443F5D09A3D.jpg Foto: Maria Luiza Dacio
18/11/2020 às 11:17

Não é novidade para ninguém que o Manaus tem um desempenho consistente quando atua em casa. Só para levarmos em consideração, a última vez que o Gavião perdeu foi nas oitavas de finais da Série D de 2018, quando no estádio da Colina, o Rio Branco-AC venceu por 1 a 0 com gol de Mateus Oliveira. Mas se por um lado o Esmeraldino apresenta saldo positivo atuando no Amazonas, essa máxima não aparece quando a equipe precisa jogar fora de seus domínios.

O jejum que já duram 429 dias, apresentam seis empates e sete derrotas em 13 partidas. Só na Série C, a equipe do técnico Luizinho Lopes teve quatro empates e três derrotas. Essa campanha jogando fora de casa só não é pior do que a do Imperatriz-MA dentro do grupo A e, superam as de Londrina-PR, São Bento-SP, Criciúma-SC e Boa Esporte-MG contando todos os 20 times da Série C.



Faltando três rodadas para o fim da fase de classificação, o Manaus ainda tem dois jogos fora e um em casa para definir sua vida na competição. A grande partida fica por conta do duelo deste sábado (21), às 18h (horário de Manaus), contra o Santa Cruz-PE. O técnico Luizinho Lopes sabe que o confronto no Arruda será difícil, mas destaca que a Série C ‘prega surpresas’ e que o adversário não é imbatível.

“É o momento decisivo, os pontos a serem conquistados vão diminuindo, mas esse confronto será mais uma final. A Série C sempre prega surpresas até a última rodada, o jogo contra o Santa Cruz será dificílimo, eles estão em um nível muito alto, porem, em algum momento eles vão tropeçar, ninguém consegue manter esse ritmo, vencendo todos os jogos, mas nós temos que ter concentração, entender que iremos enfrentar uma equipe de muita qualidade, mas que não é imbatível e podemos buscar uma grande vitória”, disse técnico do Gavião do Norte.

Nas últimas três partidas, contra Paysandu-PA, Ferroviário-CE e Treze-PB, os empates não foram as únicas coincidências. O Manaus cometeu dois pênaltis após sair à frente do placar (Paysandu-PA e Treze-PB) e teve jogadores expulso (Luís Fernando e Ramon), nos confrontos contra o Ferroviário-CE e Treze-PB, respectivamente.

Levando o histórico recente como consideração, questionamos como o técnico tem trabalhado a parte mental para um confronto contra o líder do grupo, sendo que a sua própria equipe ainda não venceu jogando fora do Amazonas e tem sofrido com penalidades e expulsões, Luizinho respondeu.

“O jogo é muito mental, a nossa equipe tem sido muito competitiva, aguerrida, precisamos resolver algumas situações pontuais para que não atrapalhe na hora do jogo, mas isso se trabalha no dia-a-dia para que os atletas adquiram confiança”.

E o treinador continua: “São situações pontuais que estão ocorrendo, a gente se viu ganhando em alguns jogos e acabamos recebendo um cartão vermelho, cometemos pênalti, tudo ocasiões que vão aumentando a dificuldade. Já teve a arbitragem que em alguns momentos minaram nosso time e, claro, nós também erramos, nós precisamos admitir que também erramos, mas o trabalho é diário, para que os atletas não percam a confiança, entender que nas últimas rodadas a gente está brigando para o G4, precisamos nos animar, focar que estamos no bolo, e seguir firme e forte acreditando nessa classificação”, concluiu o técnico

Situação do grupo

Com 20 pontos e na quinta colocação, o Manaus está dois pontos atrás do Paysandu, que hoje ocupa a última posição do G4. Com mais três rodadas para o término da fase de grupos, o Esmeraldino precisa arrancar pontos em Recife e vencer o Remo na Arena e o Imperatriz no Maranhão para chegar aos 27 pontos.

O Remo que hoje ocupa a segunda posição com 26 pontos não terá vida fácil nas suas últimas três rodadas. O Leão Azul enfrenta fora de casa o Botafogo-PB, que está em ascenção, depois visita o Manaus na Arena e tem um clássico contra o Paysandu na última rodada.

Outra equipe que também fará dois jogos como visitante será o Vila Nova-GO, atual terceiro colocado com 24 pontos. Mas um desses confrontos será contra o Imperatriz, lanterna do grupo com um ponto. As outras duas partidas também são com equipes que estão na parte de baixo da tabela: Treze, na Paraíba e a Jacuipense-BA, jogando em casa.

O rival direto do Manaus pela vaga no G4 não viaja mais para jogar fora do Pará nessa primeira fase. O Paysandu enfrenta na próxima rodada o Ferroviário, que nas últimas sete rodadas venceu apenas um jogo, depois tem compromisso contra o Botafogo e encerra sua participação no clássico Re-PA.

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.