Publicidade
Esportes
Craque

Manobra radical: Amazonense dá show no BMX Flatland e disputará a elite em 2016

Piloto manauara foi até Uberlândia, em Minas Gerais, e conseguiu o "acesso" depois de somatórias do Circuito amador da competição. Com o bom desempenho, o atleta disputará a elite da modalidade na próxima temporada 03/12/2015 às 14:04
Show 1
Marcio Luis em ação sobre a magrela.
ACRITICA.COM* Manaus (AM)

ASSISTA ALGUMAS DAS MANOBRAS DE MARCIO LUIS NO FLATLAND

]O piloto manauara de BMX, Marcio Luis dos Santos, 30, conquistou o título de campeão da terceira etapa do Circuito Brasileiro Overground, na categoria amador, disputado nos dias 28 e 29 de novembro, em Uberlândia, em Minas Gerais. Com o feito, o atleta ganhou o direito de representar o Estado na categoria profissional de 2016.

O campeonato brasileiro foi realizado em três etapas: sendo a primeira em julho no município de Itapevi, em São Paulo; a segunda em agosto, na cidade de Canoas, no Rio Grande do Sul e a última na cidade mineira de Uberlândia. Nesta temporada, o rider do Amazonas ficou em quarto lugar nas duas primeiras etapas e em primeiro na última.

Na somatória dos resultados, o atleta, que nas horas vagas trabalha como motoboy em um restaurante, ficou em primeiro lugar no ranking, com 2.730 pontos, trazendo para o Amazonas a taça de Campeão Brasileiro de BMX Flatland 2015, em sua categoria.

“Nas duas primeiras etapas o frio me atrapalhou muito, sou acostumado com o calor”, explicou, o agora ex-atleta amador. Com a vaga no profissional garantida, o piloto diz que o foco agora é a preparação para a etapa profissional.


“Agora a emoção é grande. Pois estou vendo o resultado do esforço do trabalho, pois não é fácil sair aqui do Amazonas para competir, agora é se preparar para o profissional e tentar ter o melhor desempenho possível em 2016”, comentou Marcio dos Santos.

Trabalho e treino

Marcio divide o seu dia entre o trabalho e os treinos e se diz preparado para a etapa profissional. “Trabalho oito horas por dia, após isso vou treinar por pelo menos duas horas intensas. Tenho que me aperfeiçoar ainda mais. Principalmente as minhas manobras, que é para chegar ainda mais preparado na etapa profissional”, disse o rider.

O piloto começou a praticar o BMX Flatland em 2004 e, conforme ele mesmo explica, foi amor à primeira vista. “Conheci o esporte em uma passeio na Ponta Negra e desde então me apaixonei, comecei a praticar e deu no que deu”, concluiu o campeão.


Publicidade
Publicidade