Publicidade
Esportes
Promessa do judô Amazonense

Maria Taba se despede do JEJ 2016 em busca de mais uma medalha de ouro

Figura certa nas disputas desde o ano de 2012, a atleta amazonense faz a última participação na competição nacional juvenil, que ocorre em João Pessoa, na Paraíba, de 10 a 19 de novembro 01/11/2016 às 15:18 - Atualizado em 01/11/2016 às 15:41
Show  mcn5140
Foto: Divulgação/Mauro Neto/Sejel
acritica.com* Manaus (AM)

Conhecida dos dojôs dos Jogos Escolares da Juventude (JEJ), a atleta amazonense Maria Taba, 17, vai se despedir da competição depois de cinco anos de participação ininterrupta. Figura certa nas disputas desde o ano de 2012, a aluna da escola Dom Bosco faz a última participação na competição nacional juvenil, que ocorre em João Pessoa, na Paraíba, de 10 a 19 de novembro. A atleta recebe apoio do Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel).

Expoente promessa do judô do Amazonas, Taba já soma inúmeros títulos na carreira. A vida dedicada aos jogos escolares foi apenas a porta de entrada para as conquistas e o início do reconhecimento nacional. “Os jogos trouxeram resultados muitos bons para mim. No meu primeiro ano, em 2012, fiquei terceiro lugar, em 2013 fui campeã, em 2014 fiquei com a quinta colocação e ano passado, em 2015, fui segunda. Foi muito bom e espero esse ano fechar minha participação com a medalha de ouro”, disse.

De lá para cá, a judoca conquistou títulos e resultados expressivos. Recém-campeã Brasileira Sub-18, a manauara mantém a disciplina rígida de treinos e preparação física para arregimentar mais troféus e medalhas. “Estou treinando todos os dias com a seleção amazonense. Estava fazendo musculação e treinando no Dom Bosco para enfrentar atletas de São Paulo, Maranhão e Rio Grande do Sul que são muito fortes, então preciso me dedicar e acredito que possa ser campeã”, avaliou.

Prevenção com o Ctara - Entre um treino, escola e mais treinos, a jovem promessa do Judô aproveita a ida ao fisioterapeuta do Centro de Alto Rendimento do Amazonas (Ctara). As sessões que perduram há mais de quatro anos servem para corrigir as alterações posturais. Os métodos feitos pelos profissionais do Centro servem apenas como forma de prevenção, sendo fatores primordiais para mais conquistas da atleta.

“Há quatro anos a Maria chegou com problema no tornozelo. Constatei algumas alterações posturais nela, que necessitavam de correções para melhorar o rendimento e a preparação física. Foram feitos trabalhos de estabilização para ter uma melhor condição postural e melhorar a qualidade técnica e física. É apenas questão de prevenção. Normalmente se procura o fisioterapeuta para reabilitação, mas também temos a necessidade de prevenir para evitar problemas futuros”, afirmou o fisioterapeuta do Ctara, Leonardo Correia.

Para a judoca, a disponibilidade de um fisioterapeuta tem potencializado o rendimento nas lutas. “Antes eu torcia muito meu tornozelo. Aí depois que iniciei o trabalho no CTARA de fortalecimento e alongamento parei com as dores. Isso melhorou muito meu potencial. Tem me ajudado bastante”, ressaltou.

Jogos Escolares - Entre 10 e 19 de novembro, mais de 3.900 atletas de 15 a 17 anos se reunirão na cidade paraibana para a segunda fase dos Jogos Escolares da Juventude. Organizado pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB) desde 2005, a competição terá a disputa de 13 modalidades: atletismo, basquete, ciclismo, futsal, ginástica rítmica, handebol, judô, lutas, natação, tênis de mesa, vôlei, vôlei de praia e xadrez.

A segunda etapa nacional dos Jogos Escolares da Juventude contará com a participação de estudantes de 25 estados do país, mais o Distrito Federal e uma delegação da cidade anfitriã. Além disso, estudantes do Chile disputarão as provas de atletismo e natação, com um total de 24 atletas. Ao todo, mais de cinco mil pessoas estarão envolvidas no evento, entre atletas, treinadores, oficiais, médicos, voluntários e organizadores.

Do Amazonas, mais de 150 atletas irão representar o Estado na competição de categoria juvenil (15 a 17 anos), sendo alunos de escolas privadas e instituições públicas da capital e do interior. Para a temporada, os estudantes-atletas contam com o apoio do Governo do Amazonas, via Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel) e Secretaria de Estado de Educação (Seduc).

*Com informações da assessoria de comunicação

Publicidade
Publicidade