Publicidade
Esportes
Craque

Mário Cortez é reeleito presidente do Nacional por aclamação

O empresário comandará o Naça, ao lado do professor Maneca, pelos próximos dois anos. O atual mandatário do Leão da Vila Municipal assumirá o quarto mandato à frente do clube e tomará posse no dia 15 de janeiro de 2015  14/12/2014 às 14:38
Show 1
Mario Cortez e Maneca foram reeleitos por aclamação e ficarão à frente do Nacional FC por mais dois anos.
ACRITICA.COM Manaus (AM)

O empresário Mário Jorge Taveira Cortez e o professor, Manoel do Carmo Chaves, o Maneca, foram reeleitos, respectivamente, presidente e vice-presidente do Nacional Futebol Clube, na manhã deste sábado (13). O evento ocorreu na sala de troféus da sede do clube, no bairro Adrianópolis, na Zona Sul de Manaus, com a presença dos sócios, autoridades políticas e empresários.

A posse será no dia 13 de janeiro de 2015, dia do aniversário de fundação do clube. Em seu discurso, logo após a aclamação, Cortez ressaltou o orgulho e a responsabilidade de assumir o comando do clube ao lado do seu vice, Maneca, por mais dois anos. 

“Quero dizer a vocês que é um orgulho muito grande ser reeleito para a presidência do Nacional Futebol Clube, juntamente com a história viva do Nacional, Manoel do Carmo Chaves, o Maneca, que tem sido um baluarte. Falar do Maneca é falar do Nacional e vice-versa. Ele tem sido uma pessoa que na minha administração está presente em todos os momentos, então, meus agradecimentos ao companheirismo de sempre”, disse Cortez.

O mandatário garante que assumir o cargo maior do Leão da Vila Municipal é uma tarefa árdua da qual ele, muitas vezes, abre mão de estar com a família para cumprir com seus compromissos enquanto presidente. Cortez também agradeceu e lembrou dos apoiadores que o ajudam a comandar o clube no biênio 2015/2016.

“Estou fazendo esse sacrifício de assumir por mais dois anos porque nós temos uma dedicação total, inclusive quero aqui destacar o diretor de planejamento, Haroldo Falcão, que tem sido também um sustentáculo muito grande. Tem estado diariamente conosco e dedicado grande parte do seu tempo a este clube, assim como o Gilson, Felipe, o Guimas e tantos outros que nunca negaram esforço e dedicação durante esse período. Temos uma equipe unida e coesa, mas é sacrifício, pois a gente, normalmente, chega na sede por volta das 17h em dias úteis e domingos e feriados às 16h até as 19h. Algumas vezes renunciamos a família”, conta.

Cortez, que assumirá o seu quarto mandato, esteve pela primeira vez no cargo no período de 1995 a 1997, concorreu à reeleição e permaneceu na presidência de 1997 a 1999. Em 2013, foi eleito novamente para o mandato até 13 de janeiro de 2015, quando assume até 2017. Cortez faz um balanço do seu último mandato, ressaltando a evolução do clube.

“Durante nossa administração fizemos muitas coisas em prol do Nacional. Fizemos o clube crescer, através de investimentos. Se hoje o Nacional é saudável economicamente e financeiramente, sem dívidas com o Governo Federal, todos os nossos tributos estão em dia, isso é resultado de muito trabalho. O Nacional tem um conceito muito bom diante às pessoas. Todos os nossos compromissos são honrados religiosamente, por isso, temos crédito em qualquer parte, não apenas no Amazonas, mas também em todo País.

O pleito

O vice-presidente do Nacional, Manoel do Carmo Chaves, deu início ao evento, às 10h. Seguindo o Estatuto do clube, às 11h, foi dada a segunda chamada na Assembleia, seguido da formação da mesa, composta por: o sócio mais antigo do clube, Jandeci Sarmento, pelo Dep. Serafim Correa, pelo membro do Conselho Jurídico do clube, Alcebíades Cavalcante e pelo empresário, Luiz Carvalho Cruz. Foi convidado para presidir a mesa o sócio Jandeci Sarmento.

Por aclamação, a chapa “O Trabalho Continua” foi dada como vencedora. Aberto para os manifestos, presidente eleito, Mário Cortez, fez seus agradecimentos aos deputados Pauderney Avelino e Serafim Correa, ao senador Omar Aziz e ao diretor administrativo do clube, Sidney Guilherme.

Publicidade
Publicidade